Lula e Bolsonaro se manifestam após resultados das urnas

Lula e Bolsonaro se manifestam após resultados das urnas credit:Bang Showbiz
Lula e Bolsonaro se manifestam após resultados das urnas credit:Bang Showbiz

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) se manifestaram após o TSE confirmar que os candidatos à Presidência irão disputar o segundo turno nas Eleições de 2022.

Em São Paulo, Lula - que obteve 48,43% dos votos no primeiro turno - disse acreditar que a nova votação será "apenas uma prorrogação" de sua vitória.

"Toda a eleição que disputo, gostaria de vencer em primeiro turno, mas nem sempre é possível. Durante toda esta campanha, a gente esteve à frente nas pesquisas de opinião pública, de todos os institutos, e eu sempre achei que a gente ia ganhar essas eleições e eu quero dizer para vocês que nós vamos ganhar estas eleições. Isso, para nós, é apenas uma prorrogação. Nós vamos ter que viajar mais, fazer mais ato, mais comício, mais debate, vamos ter que conversar mais com as pessoas e vamos ter que convencer a sociedade brasileira daquilo que nós estamos propondo", afirmou o candidato petista.

O atual presidente Jair Bolsonaro - que conquistou 43,20% dos votos na disputa deste domingo - declarou, durante uma coletiva de imprensa, que há "uma vontade de mudar por parte da população", porém alertou que certas mudanças "podem vir para pior".

"Eu entendo que tem muito voto que foi pela condição do povo brasileiro, que sentiu o aumento dos produtos, em especial, da cesta básica. Entendo que há uma vontade de mudar por parte da população, mas tem certas mudanças que podem vir para pior. A gente tentou durante a campanha mostrar esse outro lado, mas parece que não atingiu a camada mais importante da sociedade. Temos um segundo turno pela frente onde tudo passa a ser igual, o tempo para cada lado passa a ser igual. E vamos agora mostrar melhor para a população brasileira, em especial a classe mais afetada, que é consequência da política do 'fica em casa, a economia a gente vê depois', de uma guerra lá fora, de uma crise ideológica também", disse ele.

Os dois presidenciáveis mais votados na primeira fase da disputa se enfrentarão no próximo dia 30. Pela primeira vez na história, o pleito será entre dois políticos que já ocuparam o cargo de chefe de Estado.