Lula e Bolsonaro aparecem tecnicamente empatados em primeiro e segundo turno, aponta pesquisa XP/Ipespe

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
Ex-presidente Lula e atual presidente Jair Bolsonaro aparecem tecnicamente empatados (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images/ EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Ex-presidente Lula e atual presidente Jair Bolsonaro aparecem tecnicamente empatados (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images/ EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

O ex-presidente Lula (PT) e o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aparecem tecnicamente empatados nos dois turnos em uma possível disputa na eleição presidencial em 2022. É o que mostra a pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira, 12.

Enquanto Bolsonaro aparece com 27% das intenções de voto no primeiro turno, Lula tem 25%. A avaliação foi feita em um cenário estimulado, ou seja, quando as opções são apresentadas ao entrevistado. Em maio de 2020, o petista tinha 17% e conseguiu um salto significativo.

Os dois tem margem de 15 pontos sobre os outros possíveis candidatos. Sergio Moro, por exemplo, tem 10% das intenções de voto, enquanto Ciro Gomes (PDT) tem 9%. Luciano Huck aparece com 6%.

Projeção do primeiro turno mostra Bolsonaro com 27% e Lula com 25%. Pesquisa XP/Ipespe foi feita entre 9 e 11 de março (Foto: Reprodução/XP/Ipespe)
Projeção do primeiro turno mostra Bolsonaro com 27% e Lula com 25%. Pesquisa XP/Ipespe foi feita entre 9 e 11 de março (Foto: Reprodução/XP/Ipespe)

Em um possível segundo turno, Bolsonaro aparece com 41%, enquanto Lula tem 40%. Entre os entrevistados, 19% disseram que votariam branco, nulo ou não responderam.

Projeção do segundo turno mostra Bolsonaro com 41% e Lula com 40%. Pesquisa XP/Ipespe foi feita entre 9 e 11 de março (Foto: Reprodução/XP/Ipespe)
Projeção do segundo turno mostra Bolsonaro com 41% e Lula com 40%. Pesquisa XP/Ipespe foi feita entre 9 e 11 de março (Foto: Reprodução/XP/Ipespe)

Segundo a pesquisa XP/Ipesp, o atual presidente venceria Fernando Haddad (40% x 36%), Luciano Huck (37% x 32%), Ciro Gomes (39% x 37%), Guilherme Boulos (40% x 30%) e João Doria (39% x 29%). Apenas Sergio Moro aparece à frente de Bolsonaro (34% x 31%).

O levantamento foi feito entre os dias 9 e 11 de março, após a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, que anulou as condenações de Lula. Foram ouvidas 800 pessoas por telefone em todo o território nacional. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais.