Luiza Brunet desabafa: 'Pior que ser agredida é ser desacreditada'

Ex-modelo solta o verbo e garante que sofreu preconceito de muitas mulheres (Reprodução/instagram.com/luizabrunetoficial)

A ex-modelo Luiza Brunet, 55, conversou com o jornal “O Estado de São Paulo” nesta quinta-feira (8) e desabafou que ela foi vítima de muito preconceito depois que denunciou a agressão sofrida do ex-marido Lírio Parisotto, 64.

Pior que ser agredida é ser desacreditada, principalmente pelas mulheres. A denúncia foi feita, ficou esclarecido que houve violência, o agressor foi condenado, e as pessoas continuaram a duvidar. Me acusavam de uma grande armação para tirar benefício. Essa é a pior parte. A dor física passa mas a dor moral é muito agressiva. Você adoece porque é muito triste ficar exposta, principalmente nas redes sociais, que hoje em dia, são usadas como instrumento de difamação. Sem dó nem piedade”, disse ela.

Leia mais:
Globo quer Isis Valverde e Kéfera na próxima novela das 18 horas
Gracyanne Barbosa detona fã que criticou relação de Belo com a filha

Luiza ainda lamentou o fato das mulheres terem a agredido nas redes sociais após o corrido se tornar público no último ano. “Um grupo grande que se fortalece, vai ganhando voz e passando de todos os limites. Inclusive tive que tomar atitudes mais drásticas contra algumas delas. Hoje exijo meus direitos. Não vou perdoar, quero que paguem por isso. Elas não tiveram coragem de falar? Então, que tenham coragem para enfrentar na Justiça o que elas vêm fazendo”, declarou.