Luísa Sonza: "Sabia que as pessoas iam surtar e usei o marketing a meu favor”

Lucas Pasin
·4 minuto de leitura
Luisa Sonza (Foto: Reprodução/Instagram @luisasonza)
Luisa Sonza (Foto: Reprodução/Instagram @luisasonza)

Luisa Sonza resolveu desabafar sobre o machismo e ataques de haters que vem sofrendo após assumir o namoro com o cantor Vitão. "A mulher ainda não é vista como dona da própria vida", disse ela em entrevista à 'TPM' que foi ao ar nesta sexta-feira (18).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários

A cantora começou a receber uma 'onda de ódio' logo que lançou a música "Flores", em que aparece ao lado de Vitão. Apesar dos ataques, a canção alcançou o segundo lugar entre as mais ouvidas do Brasil e, no YouTube, já acumula mais de 80 milhões de visualizações.

Veja também

“Eu sabia que as pessoas iam surtar e usei o marketing a meu favor. E vou continuar fazendo isso com as minhas músicas. Nunca é legal receber ódio do jeito que eu recebi, mas é importante. Alguém tem que ser o bode expiatório”, contou ela para a publicação: “Eu fiquei feliz que pelo menos coloquei em discussão o machismo”.

'As pessoas acham que eu me entuchei de cirurgia'

Ainda para a 'TPM', Luisa falou sobre as mudanças desde que começou a carreira, inclusive mudanças físicas. A cantora diz que sofre críticas também por sua aparência. "As pessoas acham que eu me entuchei de cirurgia e eu sempre falei: gente, só coloquei a droga dessa minha boca – e ainda sai, nem tem mais o preenchimento labial. As pessoas esquecem que, quando eu comecei na internet, eu tinha 16 pra 17 anos. Eu já tenho 22, o corpo muda. As pessoas têm que tratar os artistas com um pouquinho mais de naturalidade", disse ela.

A cantora completa: "Empoderamento é isso. É a gente fazer o que quiser com o nosso corpo porque a gente não é só o nosso corpo, é muito mais que isso. Então o que eu quiser fazer com ele não diz respeito ao outro, e sim a mim. E isso não tem que ser pauta para ninguém. Continuo querendo que a pauta seja sobre minha música, sobre meu trabalho, sobre o que eu quero dizer, independente da roupa que eu esteja vestindo".

'A sociedade tóxica não está para brincadeira'

Luisa ressalta que já sabia que seria alvo de críticas quando lançou "Flores" com Vitão. Ela assume ter usado isso a seu favor, mas destaca que nem por isso foi algo que a deixou tranquila.

"A sociedade tóxica não está para brincadeira! Mas eu sabia que tudo isso ia acontecer e usei marketeiramente ao meu favor. E vou continuar fazendo isso nas minhas músicas. Tanto é que, por isso, o clipe já está com 85 milhões de views e chegou ao top 2 das mais tocadas no Brasil. Então foi um marketing muito bem-sucedido. Mas é óbvio que é triste se deparar com essas coisas", disse ela.

Ela explica mais sobre o 'tal marketing': "Já que as pessoas vão continuar falando, vamos usar a nosso favor. Não é que eu queira que aconteça, pelo contrário, eu luto para isso acabar, luto para que as pessoas entendam e tratem com naturalidade uma mulher livre. Nós, mulheres, temos que usar todas as adversidades a nosso favor porque já é tudo contra nós. A sociedade não foi feita para nós. A sociedade foi feita para os homens viverem e a gente ser, sei lá, a barriga que cria os filhos."

Você se considera feminista?

Luisa fala ainda sobre feminismo e diz que todos deveriam ser feministas: "Quem não se considera feminista não entendeu o que é feminismo ou é uma pessoa muito egocêntrica, que tem que rever seus conceitos, sua vida. Essa coisa de ser o rei da selva deixa para o leão, sabe? Acho que todo mundo quer uma sociedade mais igualitária, que realmente seja igual para todos, e não só para uma determinada classe, que desde o início dos tempos é o homem. Está na hora de parar com essa história das cavernas. Já deu, estamos em 2020."