Luísa Sonza é cobrada a se retratar em processo de injúria racial; entenda o caso

Luísa Sonza no Palco Mundo no festival Rock in Rio 2022 no dia 4 setembro de 2022 no Rio de Janeiro, Brasil. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
Luísa Sonza no Palco Mundo no festival Rock in Rio 2022 no dia 4 setembro de 2022 no Rio de Janeiro, Brasil. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)

O nome de Luísa Sonza, de 24 anos, voltou a se tornar um dos nomes mais comentados nas redes sociais por conta do andamento de um processo por injúria racial movido contra a cantora. O caso se tornou polêmica justamente por muitos não terem conhecimento sobre o crime e cobraram posicionamento da artista pop.

O crime teria acontecido no dia 22 de setembro de 2018, quando a advogada Isabel Macedo, uma mulher preta, estava comemorando o aniversário em um pousada em Fernando de Noronha. O local também sediava um festival de gastronomia, quando Luísa teria confundido a advogada com uma funcionária e a tratou de "forma ríspida".

Na última semana uma audiência entre as partes estava marcada, mas precisou ser adiada após o link da sessão virtual vazar na internet. Por conta da repercussão, o processo foi colocado em segredo de Justiça, mas até mesmo os fãs da cantora esperam que ela se retrate publicamente. Confira:

Entenda o caso

"Era meu aniversário, eu tinha viajado sozinha e estava dançando, me divertindo e aproveitando a festa. Por um acaso parei atrás da Luísa. No evento tinham vários famosos, mas nem sabia quem era ela. Nunca tinha ouvido falar. Foi então que ela virou, bateu no meu ombro e disse 'Pega um copo d'água pra mim?'. Eu respondi que não tinha entendido, ela repetiu a frase e completou: 'Você não trabalha aqui?'", declarou a advogada Isabel Macedo em entrevista ao site "Notícia Preta". publicada em 2020.

Na ocasião, a cantora teria tentado contornar a situação. "Na hora eu disse a ela que ela nunca sentiria o que eu estava sentindo, pois ela nunca seria confundida com as pessoas que servem nas festas que ela frequenta", contou. "Não é demérito algum ser empregada, eu mesma já fui doméstica, a questão é por que a branquitude sempre nos enxerga nessa posição de serviçal? Por que nos entendem como pessoas que só podem servi-los mas nunca como pessoas que podem consumir, viver e viajar como eles?".

Macedo abriu um processo contra Luísa Sonza por injúria racial e pede uma indenização de R$ 10 mil por danos morais. Ela também deseja uma retratação pública da artista.

Em 2020, a equipe de Luísa já havia emitido uma nota classificando o processo como oportunismo. "A assessoria jurídica da artista Luísa Sonza, através do seu advogado José Estavam Macedo Lima, vem a público informar que tomou conhecimento do referido processo pela mídia. Que a cantora até a presente data não foi citada de nenhuma ação que venha a lhe imputar o fato que está sendo noticiado. Que as acusações são falsas, inverídicas e vêm em um momento oportunista em razão do crescimento exponencial da carreira da artista. Informa, ainda, que nunca ofendeu ou discriminou qualquer pessoa”, disse.

Através de sua conta oficial no Twitter, a cantora também negou o caso. "Gente, tudo isso é MENTIRA! Não acreditem nisso! Eu jamais teria esse tipo de atitude. Vocês me conhecem bem, sabem qual é meu caráter, minha índole. Eu jamais ofenderia outra pessoa por conta da cor de sua pele. Jamais! Essa acusação é absurda", escreveu ela. "Minha equipe já está tomando todas as providências jurídicas quanto ao caso".