Luisa Mell explica para Ratinho a importância dos micos: “Equilíbrio'

Luisa Mell respondeu à uma provocação do apresentar Ratinho (reprodução / instagram @luisamell @oratinho)

Luisa Mell decidiu explicar ao apresentador Ratinho sobre a importância dos micos-leão-dourado. O empresário questionou o que mudaria caso eles fossem extintos.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

“Ratinho é lamentável que uma pessoa influente como você fale isso. Agora como embaixador do turismo é vergonhoso. Mas acho você uma boa pessoa. Por isso respondendo sua questão: O mico-leão-dourado (assim como qualquer outro animal) tem direito à vida livre em toda sua plenitude. Além disso, todo animal silvestre/selvagem, é um termômetro ambiental da saúde do meio ambiente. Todos os membros da natureza são importantes elementos garantidores do equilíbrio ecológico de diversas outras espécies. Se uma espécie desaparece, milhares de outras espécies da fauna e flora sofrerão as consequências dessa perda, podendo causar um colapso ambiental sem tamanho”, escreveu a ativista.

Leia também:

Luisa ainda utilizou um exemplo chinês para ajudar na explicação sobre equilíbrio ambiental. “Em 1958, Mao Tsé-tung, com este mesmo pensamento limitado como o seu, resolveu exterminar todos os pardais. Fazendeiros reclamavam que pardais comiam grãos de suas plantações e iniciou um massacre. Pela sua conta cada pássaro comia cerca de 4kg de grãos por ano. Se um milhão de pardais forem mortos, sobraria comida para 60 mil pessoas. Então, incentivados pelo governo, o povo chinês massacrou os pardais. Foram mortos 1 bilhão. Mas os pássaros não comiam só grãos, comiam também muitos insetos (entre eles gafanhotos). O massacre afetou o equilíbrio natural do ecossistema. Com o seu predador primário praticamente extinto na região, os insetos acabaram se multiplicando e destruindo as colheitas. Sem arroz suficiente, a população chinesa sofreu um enorme colapso alimentício. De 20 a 50 milhões de pessoas morreram de fome nesse período.”