Ludmilla rebate discurso homofóbico de cantora gospel: 'Chega de ódio'

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ludmilla, 27, decidiu se pronunciar sobre a polêmica envolvendo a cantora gospel Bruna Karla, 32, nesta quinta-feira (16). Em um vídeo que viralizou nas redes sociais, a intérprete de canções como "Cicatrizes" e "Advogado Fiel" revelou que considera as relações homoafetivas como um "caminho para a morte eterna". e recebeu várias críticas de colegas de palcos como Anitta e Jão. Casada com a dançarina Brunna Gonçalves há quase três anos, a funkeira se revoltou e pediu o fim da LGBTfobia.

"Esse é o tipo de discurso que me embrulha o estômago e me deixa revoltada. Pessoas como ela, que se dizem 'porta-vozes' de Deus, descartam e fazem mal a pessoas o tempo inteiro pelo simples fato de elas serem quem elas são!", escreveu Ludmilla no Twitter. Mas, ela não parou por aí.

"Quantos de nós ainda vamos precisar morrer gritando que isso não é uma escolha?", continuou. "Mais quanto tempo vamos precisar sofrer pelo direito de amar? Amor ao próximo? Que próximo? Respeito? Para quem? Chega de ódio. Chega de homofobia. Chega de transfobia. Nós imploramos. Chega, chega!", disparou Ludmilla.

Bruna Karla contou em entrevista ao podcast Positivamente, apresentado por Karina Bacchi, que se negou a cantar no casamento de um amigo homossexual por não ser a favor de relacionamentos da comunidade LGBTQIA+. "Quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, vou sim. O dia em que eu aceitar cantar no seu casamento com outro homem, posso parar de cantar sobre ler a Bíblia e sobre Jesus'", admitiu a cantora.

Ela ainda mandou um recado para os internautas que acompanhavam o programa. "Aos meus queridos ouvintes homossexuais, o que Deus tem para a sua vida é libertação, algo que Ele sonhou para você. Receba todo meu amor e meu respeito, porque Jesus não sonhou isso para você.".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos