Ludmilla apaga redes sociais após expor ataques racistas

·1 minuto de leitura
*** FOTO DE ARQUIVO *** SÃO PAULO, SP, 08.02.2019 - :00h - A cantora Ludmilla concede entrevista para Ilustrada. Ela está se preparando para gravar seu primeiro DVD.  Fotos produzidas na sede do Twitter em São Paulo (Foto: Karime Xavier / Folhapress)
*** FOTO DE ARQUIVO *** SÃO PAULO, SP, 08.02.2019 - :00h - A cantora Ludmilla concede entrevista para Ilustrada. Ela está se preparando para gravar seu primeiro DVD. Fotos produzidas na sede do Twitter em São Paulo (Foto: Karime Xavier / Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cantora Ludmilla, 25, voltou a ser vítima de ataques racistas nas redes sociais. Ela mesma denunciou o caso antes de deletar suas contas no Instagram e no Twitter, nesta sexta-feira (18). "Estou tirando print de tudo, porque isso é crime, e eles vão pagar, um por um", afirmou.

Antes de desativar suas contas, a cantora fez um post mostrando alguns ataques e disse que eles são frequentes. "Vocês não têm noção do que eu passo com essas pessoas. São 24 horas por dia de comentários racistas em todas as minhas postagens", desabafou ela.

Os fãs da cantora usaram as redes sociais para expressar apoio, e a hashtag #EstamosComVocêLudmilla se tornou uma das mais compartilhadas na manhã deste sábado (19). "Ludmilla é uma mulher linda e merece respeito", afirmou uma internauta. "Nossa cor, nossa voz, nossa história deve ser valorizada", disse outra.

A bailarina Brunna Gonçalves, 29, mulher de Ludmilla, desabafou sobre a situação no Twitter. "Não temos um dia de paz. Todo santo dia ela é atacada por nada! Vocês vão pagar por tudo isso, racistas não passarão. Vocês não têm noção de como eu fico vendo ela triste. Isso tem que acabar", disse.

Em junho, Ludmilla já tinha sido vítimas de ataques racistas, também nas redes sociais. "O povo preto é potência e resistência. O racismo criminoso é uma tentativa de tirar nossa humanidade. Só que a gente não vai se calar e não vai abaixar a cabeça", afirmou a cantora na ocasião.