Luciano Huck: relembre os melhores momentos do apresentador no Caldeirão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·5 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
<p>Apresentando o “Caldeirão do Huck” na Globo desde 2000, quando assinou contrato com a emissora, Luciano Huck tem salário de cerca de R$ 1 milhão por mês. Vale lembrar que o apresentador também fatura com publicidade, já que é uma das celebridades brasileiras mais requisitadas para comerciais. (Divulgação/ Globo) </p>
Luciano presentando o “Caldeirão do Huck” (Divulgação/ Globo)

Os principais programas da Rede Globo aos finais de semana ganharam uma série de mudanças e uma verdadeira “dança das cadeiras” nos últimos meses. Com a saída de Fausto Silva da emissora, Luciano Huck irá capitanear o programa, agora chamado de “Domingão com Huck”. Já para assumir o lugar do apresentador nas tardes de sábado, ninguém menos do que Marcos Mion, que foi convidado para comandar o novo “Caldeirão com Mion”.

O “Caldeirão do Huck” é um programa de auditório que há mais de 20 anos vem alegrando as tardes de sábado dos brasileiros com jogos divertidos, momentos de pura emoção e convidados para lá de especiais. Alguns quadros famosos como “Lata Velha”, “Soletrando” e “Lar Doce Lar” foram memoráveis e de grande importância para a audiência do programa.

Leia também

Reunimos aqui 5 momentos que ficarão para a história e na lembrança de quando Luciano Huck estava à frente do programa. Confira!

“Lata Velha” - Caminhonete rural de 1973

Lata Velha (Foto: Acervo Globo)
Lata Velha (Foto: Acervo Globo)

Em 2019, o Caldeirão do Huck foi até Ibirá, interior de São Paulo, para realizar o sonho de Marcio Aparecido, 41, que tinha uma caminhonete rural de 1973. A história foi emocionante.

Marcio comprou a caminhonete porque o fazia lembrar do pai, Oswaldo, que tinha um modelo idêntico e tratava o carro como membro da família. Após um acidente automobilístico, Oswaldo precisou vender o veículo.

Depois que o pai faleceu, Marcio comprou uma caminhonete do mesmo modelo. Como é soldador e muito caprichoso, ele mesmo começou a fazer as reformas, mas, por causa de problemas financeiros, desistiu e chegou a considerar a venda do veículo, mas antes, teve um sonho com o pai que o fez desistir de fazer isso.

O resultado final ficou surpreendente e a reação do rapaz vendo o veículo totalmente reformado e homenageando seu pai ao vivo no palco do Caldeirão emocionou muitos que assistiram.

“Lar Doce Lar” - A História de Danilo e sua mãe Lindinalva

Lar Doce Lar (Foto: Acervo Globo)
Lar Doce Lar (Foto: Acervo Globo)

O jovem Danilo da Silva, que vivia no Tocantins quando o programa foi ao ar em 2017, encantou o público por ser um rapaz esforçado. Ele fazia faculdade de Direito e Filosofia e vendia balas no farol para juntar dinheiro para construir a sua casa. O rapaz tinha o sonho de dar uma casa própria para a mãe, Lindinalva, que morava em Jequié, na Bahia.

O encontro de Danilo com Luciano Huck foi emocionante de cara. O apresentador surpreendeu o rapaz na faculdade quando ele estava vendendo balas. O objetivo era juntar dinheiro para conseguir trazer a mãe e os sobrinhos para morar na casa nova.

O rapaz revelou uma história cheia de superações, que começa desde a sua criação, em que a mãe precisou assumir ele e mais quatro filhos sozinha, pois o pai não estava presente.

A casa sequer tinha banheiro com água. O rapaz tomava banho em um tonel do lado de fora e usava o banheiro da faculdade. A reforma abrigou o rapaz e sua mãe confortavelmente e deu um verdadeiro lar para eles.

Um ano depois, em 2018, Danilo voltou ao palco do Caldeirão com Luciano Huck e revelou que sua vida mudou depois do programa, a começar que ele parou de vender balas e se tornou professor de filosofia e história na rede pública de ensino em Palmas (ele já era formado em pedagogia).

“Visitando o Passado” com Pabllo Vittar

Visitando o Passado (Foto: Acervo Globo)
Visitando o Passado (Foto: Acervo Globo)

Exibido em junho deste ano, às vésperas do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, Pabllo Vittar foi a convidada do “Visitando o Passado” e deu uma das mais emocionantes edições do quadro.

Ela foi surpreendida quando descobriu que iria participar do quadro e relembrar a sua infância. Tanto para Pabllo como para quem assistia foi difícil segurar as lágrimas ao ver a cantora entrando em uma réplica de como era a casa que morava quando criança junto com a mãe Verônica, e as duas irmãs, Phamella e Polyanna, em Santa Izabel do Pará, no Pará.

Além da história de superação, uma das grandes discussões levadas para o programa foi a questão do preconceito contra pessoas LGBTQIA+ e como a mãe, Verônica, foi fundamental para ajudar a Pabllo a ser a diva que conhecemos e amamos hoje.

“Graças a Deus, existem pessoas como a Pabllo e muitas drags que estão aí na estrada para ajudar as pessoas a terem coragem e atitude. Existem muitas mães que não apoiam seus filhos quando pequenos e quando eles crescem, sofrem (...) O maior orgulho que eu tenho na vida é ser a mãe delas", declarou dona Verônica no programa.

“Quem Quer Ser Um Milionário” - Beatriz Marques

Quem Quer Ser um Milionário (Foto: Acervo Globo)
Quem Quer Ser um Milionário (Foto: Acervo Globo)

A biblioteconomia e estudante da UFRJ, Beatriz Marques levou um dos maiores prêmios do programa no valor de R$ 100 mil e se destacou no quadro “Quem Quer Ser Um Milionário” com um relato surpreendente.

A história de Beatriz é daquelas que renderia um livro. A mãe descobriu durante a gestação que era portadora do vírus HIV, e a jovem nasceu de 5 meses com paralisia cerebral. Quatro anos depois, a mãe faleceu e a garota foi criada pela avó.

Super estudiosa, a Bia (como prefere ser chamada) mostrou que os problemas que enfrentou até chegar no palco do Caldeirão não foram páreo para a sua inteligência e dedicação, e ela acabou se tornando uma das competidoras que chegou mais longe na história do quadro.

“The Wall” - Marisa Carvalho e Aline Narciso

The Wall (Foto: Acervo Globo)
The Wall (Foto: Acervo Globo)

As dentistas Marisa Carvalho e Aline Narciso protagonizaram um dos momentos mais especiais da história do quadro “The Wall”. À frente do “Instituto Sorrir para a Vida”, a dupla trabalha para ajudar pessoas em tratamento oncológico e portadores de deficiência.

O sonho delas era parar de pagar o aluguel da clínica para reduzir os gastos com a instituição. O trabalho é voluntário e foi idealizado por Marisa Carvalho 12 anos antes da exibição do programa. Aline entrou anos depois como dentista voluntária.

Maria teve a ideia após enfrentar um câncer em 2003 e outro em 2006, depois do tratamento, ela quis dedicar sua carreira em um projeto social para pessoas que estão passando pela condição que ela vivenciou.

Além do prêmio de R$ 426.646, a dupla recebeu muito apoio dos internautas nas redes sociais, tendo pulado de 2 mil para 25 mil seguidores após o programa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos