Luciana Gimenez lamenta traumas sobre envelhecimento: "Preconceito absurdo"

Luciana Gimenez fez um desabafo sobre aparência e como entrou em guerra com o próprio corpo após sofrer muita pressão estética por parte da indústria de celebridades. A apresentadora já mencionou várias vezes do assédio e abuso moral que sofria quando foi modelo, e que chegou a ouvir que jamais seria bonita ou desejada.

"Sou traumatizada com esse negócio de idade. Cresci ouvindo que homem amadurece, e mulher apodrece. Então tenho trauma, porque existe um preconceito absurdo e as pessoas não falam sobre isso. Depois que a mulher faz 40 anos existe um preconceito enorme", disparou ela para a Vogue.

Além da cobrança por perfeição estética, Luciana já havia falado sobre concepções machistas que sofreu após engravidar do filho Lucas, de sua relação com o músico Mick Jagger. "Não tenho motivação financeira com nada a não ser com meu trabalho. Nunca ganhei dinheiro de homem. Eu trabalho desde cedo, sempre foi minha motivação ter meu dinheiro. Sempre quis ser assim. Eu fazia evento com 13 anos, era modelo, e sempre quis ser uma velha rica com meu dinheiro, sem precisar depender de ninguém", disparou.

Sobre a perseguição dos paparazzi, Luciana afirmou que passou anos sem conseguir se livrar totalmente da situação. "Foi um inferno. Até hoje vivo alguns resquícios, as pessoas se sentem no direito de julgar. Eu tomei uma decisão ali, quando fiquei grávida, de nunca rebater notícias. Mas é um preço caro, porque fico vendo muito absurdo. Eu saí em mais de 500 capas de jornais ingleses, foi uma tortura. Não sei como o Lucas nasceu tão calmo. Eu fugi pra Austrália, Nova Iorque, e nada funcionava", lamentou.