Lucas Lucco acumula projetos e diz que música não precisa ser o principal

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Lucas Lucco
    Cantor, compositor e ator brasileiro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em um verdadeiro recomeço na carreira, o cantor Lucas Lucco, 30, atualmente trabalha no lançamento das quatro temporadas de seu novo DVD "Rolê Diferenciado" e dedica sua energia para a família e empreendimentos paralelos à carreira musical. "Esse tempo de ócio me fez repensar qual versão do Lucas que eu quero apresentar para quem gosta do meu trabalho", afirmou.

O sertanejo, que ficou quase um ano sem lançar novos trabalhos, conta que vai se dedicar à divulgação do projeto novo até meados de fevereiro de 2022, já pensando em shows para o início do ano que vem. Ele afirma que agora seu principal objetivo será a constância na carreira musical, mas também pretende trabalhar em suas outras áreas.

"A música e os shows não precisam ser a minha atividade principal", diz, em entrevista à reportagem. Além da carreira musical, o cantor se dedica a empreender com uma academia e um programa de treino e prepara o lançamento de uma nova plataforma para artistas, focada na tokenização de músicas. "Todos os meus empreendimentos têm o meu propósito", completa.

A nova plataforma, chamada Artfy, vem de encontro com o avanço do mundo digital e proporcionou para o músico a independência em sua carreira. Ele relembra que desde seu último lançamento, o DVD "Origem" em 2019, saiu de sua antiga gravadora e passou a buscar novas formas de investimentos.

O sertanejo diz que busca investidores para a plataforma, "não necessariamente são pessoas que fazem parte do grande mercado financeiro", mas até fãs de artistas. Quem investir, afirma, poderá ganhar por cada play que as canções recebem, impulsionando o trabalho dos músicos. "Hoje estou levando uma carreira independente."

Para Lucas, o digital funciona como uma lente de aumento. "Com o crescimento das plataformas digitais, muitos artistas que não tinham a oportunidade de aparecer para o grande público agora têm", comenta. Ele afirma que, ao longo da pandemia, notou que gêneros musicais como funk, trap e rap nacional ganharam mais alcance, mudando a visão de o sertanejo ser um dos principais gêneros do Brasil.

O músico também vê mudanças em sua própria carreira. Ele sofreu com burnout em 2016 e passou anos enfrentando as consequências da doença, o que o afetou diretamente em suas decisões para o futuro. "Principalmente no sentido de ter mais liberdade, controle e visão sobre a minha carreira", afirma.

Ele comenta que, além de priorizar a transparência e controle sob seus trabalhos, também percebeu que poderia ser melhor diminuir o ritmo de shows para "ter mais tempo para mim, minha família e consequentemente mais criatividade". Para o artista, o nascimento de seu filho, Luca, também foi um ponto de virada.

"Enquanto ele estava sendo gerado na barriga da Lorena [Carvalho], do outro lado estava sendo gerado um pai, uma versão melhor do Lucas", pontua. Lucas afirma saber que está longe do seu auge na carreira, e que o nascimento de seu filho o inspirou para explorar seu potencial "musical e empreendedor".

O sertanejo pensa em ter mais filhos. Ele afirma que está de comum acordo com Lorena de que terão mais dois, e diz ter "vontade de adotar um, na hora certa". "Vou beirar os quatro filhos", completa.

Para o futuro, o artista afirma que se concentra no lançamento de suas músicas inéditas do DVD "Rolê Diferenciado". Até agora, a primeira temporada apresentou seis das 21 faixas para os fãs do cantor. "Agora pretendo ficar focado 1000% em novos trabalhos na música."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos