Luana Piovani pede extinção do racismo após ataques a filhos de Ewbank e Gagliasso

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Luana Piovani pede extinção do racismo após ataques a filhos de Ewbank e Gagliasso (Foto: Thiago Duran/AgNews)
Luana Piovani pede extinção do racismo após ataques a filhos de Ewbank e Gagliasso (Foto: Thiago Duran/AgNews)

Luana Piovani foi uma das artistas que se solidarizaram com os ataques racistas sofridos por Títi e Bless, filhos de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso. Morando em Portugal há cerca de três anos, a atriz pediu a extinção do racismo.

O estopim foi um comentário feito por uma seguidora de Luana. "Vendo o vídeo sobre o racismo sofridos pelos filhos do Bruno e da Gio e me lembrando de você falando: 'Portugal, seu lindo'. Realmente, qualquer lugar no mundo para a branquitude privilegiada é lindo. Não basta não ser racista. É preciso ser antirracista", escreveu.

A atriz não deixou a seguidora sem resposta e retrucou: "Pois é, por isso sou e luto pelo que acredito. Tá na hora de extinguirmos o racismo, mas só denunciando é que conseguiremos", afirmou.

Entenda o caso

Em vídeos gravados em Portugal e e divulgados nas redes sociais no último sábado (30), Giovanna aparece discutindo com uma mulher que foi racista com os seus filhos. Segundo a assessoria do casal, a mulher em questão xingou os flhos do casal e uma família de turistas angolanos que estavam em um restaurante na Costa da Caparica, em Portugal. Ela pedia que eles saíssem do restaurante e voltassem para a África, além de chamar as crianças de "pretos imundos".

No vídeo, Giovanna chama a mulher de "racista nojenta" e que ela "merecia levar uma porrada". Segundo a assessoria do casal, a mulher foi levada escoltada pela polícia. Ewbank e Gagliasso ainda prestarão queixa formalmente na delegacia portuguesa.

Confira o comunicado da assessoria do casal:

"Comunicamos que os filhos do casal Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso foram vítimas de racismo no restaurante Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal, neste sábado, dia 30 de julho, onde a família passa férias. Uma mulher branca, que passava na frente do restaurante, xingou, deliberadamente, não só Títi e Bless, mas também a uma família de turistas Angolanos que estavam no local - cerca de 15 pessoas negras. A criminosa pedia que eles saíssem do restaurante e voltassem para a África, entre outras absurdos proferidos às crianças, tais quais “pretos imundos”.

Confirmamos, conforme vídeos que já circulam no Brasil, que Giovanna reagiu e enfrentou a mulher, enquanto Bruno Gagliasso, seu marido, chamou a polícia. A mulher foi levada escoltada e presa.

Informamos ainda que Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank prestarão queixa contra a racista formalmente na delegacia portuguesa.

A Trigo Casa de Comunicação lamenta as agressões sofridas por Títi, Bless e os turistas angolanos e apoia integralmente as ações tomadas por Giovanna e Bruno. Racismo é crime".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos