Luana Piovani e a irresponsabilidade paterna: só as mães devem se preocupar com os filhos?

Luana Piovani contou que ficou 4 dias sem falar com os filhos, que saíram em viagem com o pai, Pedro Scooby

Luana Piovani foi o assunto da semana. Não que a apresentadora não saiba o que é ser manchete, mas dessa vez o tema foi outro: em um vídeo, ela contou para os seguidores do seu canal no YouTube sobre as dificuldades que passou com os filhos e o ex-marido, Pedro Scooby - e tudo isso nos fez pensar sobre irresponsabilidade paterna.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Por 21 minutos, Luana explica como o ex decidiu levar os filhos, Dom, Pedro e Liz para os Estados Unidos para comemorar o seu aniversário. Até aí, tudo bem: comum acordo, passagens compradas, malas feitas, as crianças partiram em viagem com o pai.

Leia Mais

O que Luana explica é que, entre trancos e barrancos, a viagem aconteceu, mas ela perdeu o contato com os filhos por quatro dias depois que eles deixaram Portugal, onde ela mora atualmente. "Uma vez que eu perco a confiança no pai delas, como eu fico tranquila para elas viajarem com ele?", refletiu.

O combinado com Pedro era que as crianças falariam com a mãe pelo telefone dia sim, dia não, sempre às 20h. Nada feito: não só ele não atendia o telefone ou respondia mensagens, como o outro contato que ele havia passado para a apresentadora, da amiga Letícia Bufoni, estava errado. E Luana ficou sem conseguir falar com os filhos.

"Eu estou dividindo com vocês o que estou passando, que não é fácil. Primeiro porque só hoje cinco amigas pessoais vieram me dizer que passaram pelo que eu estou passando, que é o pai não cumprir o combinado", explicou ela.

Irresponsabilidade paterna e o peso de ser mãe

O Brasil é um país de números grandes e chocantes. Por aqui são mais de cinco milhões de crianças que não têm o nome do pai na certidão de nascimento, segundo o Conselho Nacional de Justiça. Não só isso, mas de acordo com o IBGE, o país ganhou mais de um milhão de lares chefiados por mães solos.

O que tudo isso tem a ver com o caso de Luana Piovani? São provas de irresponsabilidade paterna, quando o pai não cumpre com o combinado em relação aos filhos, seja judicialmente, seja socialmente, não tomando para si a responsabilidade da criação das crianças que ajudou a trazer ao mundo.

Luana recebeu nos comentários uma série de mensagens de apoio à tudo o que relatou no vídeo. Com calma, enquanto tira a maquiagem, ela explica que sente que é importante expor tudo o que aconteceu justamente para que o outro lado da história, no caso, Pedro, perceba que as suas ações têm consequências e que ela não vai mudar o seu posicionamento porque ele não cumpre o seu papel como pai.

"O que me entristece profundamente é que quem perde com isso são as crianças", continua ela no vídeo. Luana explica que Pedro usou o WhatsApp para ofendê-la quando foi questionado sobre suas ações e, segundo ela, tentou usar o caso para tirar a confiança que ela tem como mãe. Como se não bastasse, ele também decidiu diminuir o tempo de viagem e levar as crianças de volta mais cedo.

"Eu entendo ela perfeitamente. Vivo isso. Crio meu filho sozinha, me viro, e o pai só pensa em levar pro cinema", escreveu uma usuária. "Toda separação é assim mesmo, pai só ama os filhos quando está comendo a mãe, depois eles só cumprem um papel de obrigação", escreveu outra.

Desde então, Luana conseguiu falar com os filhos, mas isso não muda o fato de que as crianças estão em uma situação, no mínimo, decepcionante. E o vacilo coloca Luana também numa saia justa. Como confiar no pai, quando ele simplesmente não cumpre com a sua parte do acordo, não se organiza para fazer uma viagem tranquila e informa a mãe das crianças do passo a passo?

O papel do pai na criação de um indivíduo é muito maior do que se imagina e reservá-lo apenas aos momentos de “diversão” tirando de si a responsabilidade que essa função exige gera, sim, efeitos a longo prazo. E, no curto, coloca em cima da mulher todo o peso da criação das crianças, o que, no mínimo, aumenta o seu nível de estresse e a coloca em rotinas duplas e até triplas para dar conta de tudo.

Mas e a exposição?

Há também, outra questão muito levantada pelos seguidores de Luana: será que precisa mesmo de toda essa exposição? Pelo Twitter e também no YouTube, muito usuários disseram que seriam mais efetivo se Luana resolvesse a situação na instância que ela merece: na Justiça, com a ajuda dos seus advogados.

Chamada até mesmo de “O Kanye West brasileiro” nas redes sociais, as pessoas comentaram sobre como ficam as crianças nessa história, já que, além de terem que lidar com a situação dentro de casa, acabam sendo amplamente expostas na internet sem o seu conhecimento.

“A única coisa que eu penso quando vejo essa briga entre Luana Piovani e Pedro Scobby é como está a cabeça dessas crianças, porque no meio de todo esse fogo cruzado deles existem três crianças que no futuro (ou mesmo até hoje em dia) sejam afetadas psicologicamente", escreveu uma usuária do Twitter.

Existe ainda o outro lado da história. Segundo Fábia Oliveira, do jornal ‘O Dia’, Scooby teve problemas com o voo porque Luana esqueceu o passaporte de uma das crianças em casa ao levá-las ao aeroporto. Outro ponto: de acordo com a colunista, Luana não conseguia falar com Pedro porque ela mesma bloqueou o número do ex no celular - algo que, inclusive, ela diz ter feito no vídeo, depois de ter sido ofendida.

Por fim, parece ainda que o retorno antecipado da viagem não aconteceu por causa de toda a confusão, mas, sim, porque Pedro fechou um trabalho que exigiu uma adaptação na agenda.

Independentemente dos motivos, é importante pensar o efeito que toda essa exposição têm nas crianças, e com o que elas precisarão lidar mais para frente, quanto tiverem acesso às coisas que são ditas sobre elas e os pais na internet. E o tribunal das redes sociais precisa sempre pensar nos dois lados e nas questões envolvidas.