Luana Piovani descarta novo casamento e afirma: "Monogamia é um sacrifício"

Luana Piovani descarta novo casamento e afirma:
Luana Piovani descarta novo casamento e afirma: "Monogamia é um sacrifício" (Foto: AgNews)

Apesar de estar feliz no relacionamento com Lucas Bittencourt e não ter do que reclamar do casamento de sete anos com Pedro Scooby, Luana Piovani não tem intenção de se casar novamente e afirmou que "manter monogamia é um sacrifício".

"Não penso em me casar novamente. Já realizei essa fantasia. Sou descrente dessa instituição falida. As chatices da rotina minam qualquer relação. Se a gente tem a pessoa segura ali, o tempo todo, a libido acaba. A Ferrari na garagem vira Fusca", justificou a atriz em entrevista à revista Veja.

Ela ainda reforçou que considera sexo uma parte bastante importante em um relacionamento: "Sou uma mulher com sexualidade quase masculina do ponto de vista da sedução. Para me envolver, é preciso ter tesão, mas também admiração. Senão vira delivery, o dia que você quer, liga e pega", declarou. "Já que manter a monogamia é um sacrifício, mas casamento aberto não funciona para mim. A receita perfeita é ser namorada."

Abusos e agressão

Há alguns dias, Luana Piovani expôs uma situação de assédio que viveu nos bastidores do remake de "Anjo Mau", em 1997. Ela conta que se recusou a sentar na perna do diretor Carlos Manga (1928-2015) e, posteriormente, foi cortada do elenco sob o pretexto de que não agregaria à produção.

"Vivi um abuso aos 20 anos, mas na época era normal e só me dei conta mais tarde. Eu e algumas pessoas, entre elas Luiza Brunet, que seria minha mãe no folhetim, estávamos na sala do diretor Carlos Manga. De longe, ele bateu na perna e disse: 'senta aqui'. Eu pensei: tiozinho ousado. Sentei no braço da poltrona", relatou à "Veja".

Luana lembrou também o episódio em que foi agredida por Dado Dolabella, com quem namorava quando a agressão aconteceu. A apresentadora afirmou que o ex não foi devidamente punido. "Inclusive porque não me agrediu apenas, mas também a camareira da minha peça. Ele a jogou longe, e ela trincou os dois antebraços. Nunca pagou a indenização. Na época, vivi a primeira crise de ansiedade. Não pela agressão, mas pela ressaca daquilo. Brasileiro é cruel, mas fantasiado de engraçadinho", comentou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos