Luísa Sonza reconhece privilégio branco e revela o que fará com processo por racismo

Twitter
Twitter

Mediante a pressão do público e fãs, Luísa Sonza finalmente quebrou silêncio após processo por racismo. Em nota divulgada nas redes sociais, a dona do álbum "Doce 22" disse que vai resolver o caso de forma amigável e que vai respeitar o valor pedido pela autora, Isabel Macedo de Jesus.

"Eu não tenho medo de colocar os meus privilégios, que reconheço que tenho, à disposição para chamar atenção para essas questões sociais e tentar diminuir qualquer tipo de discriminação (...) Por isso, a minha decisão é solicitar uma audiência especial para resolver amigavelmente o processo, acatando o valor pedido pela Autora", declarou.

Advogada recebeu "tapinha" e ordem de Luísa Sonza

Segundo os dados do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Isabel Macedo de Jesus abriu uma ação por danos morais contra Luísa Sonza e a pousada Zé Maria, em 2019. Em Fernando de Noronha, onde ela foi passar férias, a advogada estava assistindo um show da intérprete de "Cachorrinhas" em um Festival Gastronômico da pousada, quando foi surpreendida por um "tapinha" da artista e ordem de pegar uma água.

"Ao ser informada de que a autora não era funcionária, a 1ª ré se mostrou visivelmente surpresa, levando a autora a...

Leia +


Leia +

Hugo Bonemer revela o que fará depois de "Malhação": "Quero raspar o cabelo"!
Jade Picon revela habilidade que precisou ter para "Travessia"
Taylor Swift revela que contracapa do "Midnights" tem um segredo