Lore Improta quer ampliar família com Léo Santana

***ARQUIVO***SALVADOR, BA, 20.02.2020 - Show do cantor Léo Santana no circuito Osmar, no Campo Grande, em Salvador. (Foto: Raphael Muller/Folhapress)
***ARQUIVO***SALVADOR, BA, 20.02.2020 - Show do cantor Léo Santana no circuito Osmar, no Campo Grande, em Salvador. (Foto: Raphael Muller/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A frase "há males que vêm para o bem" parece nunca ter feito tanto sentido na vida da modelo e dançarina Lore Improta, 28. Segundo ela, as idas e vindas com o atual marido, o cantor Léo Santana, 34, apesar de sofridas, foram importantes para fazer o casal amadurecer antes do nascimento de Liz, a primeira filha dos dois, atualmente com 9 meses.

"Cada casal tem sua história, e a nossa foi mais conturbada", define. "Hoje, faz parte olhar para trás e ver que foi necessário aquela turbulência para entender o quanto nos amamos e evoluímos como casal e pais. Mas nunca passamos mais de um mês longe um do outro, sempre conversávamos para achar uma forma de estarmos juntos e gerar um bebê", revela em entrevista ao F5.

Aliado a isso, veio a pandemia, que fez com que os dois ficassem trancados 24 horas por dia juntos. "Foi o teste de fogo. Conversamos mais e resolvíamos os problemas logo na hora que eles aconteciam. Foi fundamental para nos consolidar como família", define. Pouco tempo depois de reatarem, foi feito o anúncio de que Lore estava grávida.

Quando Liz veio ao mundo, em setembro de 2021, as coisas não foram fáceis. Lore faz questão de espantar o romantismo da maternidade ao revelar que teve problemas para amamentar, que os seios ficavam em carne viva, que quase não dormia e que "chorava todos os dias sem saber o motivo e se culpava por isso". Sua médica detectou um "baby blues", um abalo forte emocional, mas que não chegou a evoluir para uma depressão pós-parto.

"É bem mais difícil educar uma criança do que criar coreografias", brinca ela, que afirma levar a filha para cima e para baixo quando percebe que algum compromisso levará mais do que dois dias para acabar. Mas ela também conta com uma grande rede de apoio, que inclui mãe, sogra, cunhadas e uma babá. Cabe a Léo Santana ver a pequena duas vezes ao dia pelo FaceTime, quando está viajando, e grudar nela nas horas em que consegue estar em casa.

"Nós dois fizemos vários cursos juntos para aprender sobre maternidade e paternidade. Eu trazia a proposta e ele aceitava. Quando ele chega, ele cuida dela e eu durmo, depois revezamos. Tudo passa rápido. Foi engraçado que quando Liz nasceu, o Léo não acreditava que era pai, a ficha demorou a cair. Nossas vidas mudaram", avalia Lore que confirma já ter reuniões para definir os detalhes do festão de 1 ano para a menina, em setembro.

Apesar de as mudanças no corpo -ela voltou a treinar 30 dias após dar à luz e viu na dança um meio para perder peso- e na parte psicológica terem afetado Lore, a dançarina revela que faria tudo de novo. Ou melhor: fará tudo de novo. A chegada de um segundo filho já é papo dentro de casa. "Todo esse processo que achei que poderia me traumatizar sumiu e com dois meses eu já falava em ter mais um. Sonhamos em aumentar a família em breve", adianta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos