Liza Minnelli diz ter sido sabotada no Oscar, segundo amigo e colaborador

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após uma cerimônia do Oscar marcada pelo episódio do tapa que Will Smtih deu na cara de Chris Rock, a cantora Lady Gaga recebeu elogios por ter conduzido a cadeira de rodas da atriz e cantora Liza Minnelli para anunciar o vencedor da categoria de melhor filme, o longa "No Ritmo do Coração".

No entanto, de acordo com o amigo e colaborador de longa data de Minnelli Michael Feinstein, a atriz de 67 anos, conhecida mundialmente por sua atuação no filme "Cabaret", de 1972, ficou "muito desapontada" com a organização do Oscar, especificamente porque ela teria sido forçada a usar uma cadeira de rodas minutos antes de sua aparição na cerimônia, informou a revista americana Vanity Fair.

"Ela foi sabotada", disse Feinstein no podcast Jess Cagle Show nesta terça (19). "Essa é uma palavra horrível para usar, mas ela apenas concordou em aparecer no Oscar se estivesse na cadeira de diretor, porque ela tem tido problemas nas costas. Ela disse, 'Eu não quero que as pessoas me vejam mancando'. Ela também disse, 'Sabe, eu quero aparecer bem. Não quero que as pessoas se preocupem comigo'."

Feinstein afirmou que os planos mudaram no último minuto, em parte devido à confusão causada pelo tapa de Will Smith. Segundo o amigo da atriz, quase no momento de subir ao palco, Minnelli foi informada que deveria estar sentada numa cadeira de rodas em vez da cadeira de diretor que havia pedido.

Cantor, compositor e pianista, Feinstein já foi indicado ao Grammy cinco vezes, tendo se apresentado com Minnelli em várias ocasiões. Eles gravaram juntos um dueto de "Embraceable You" --canção clássica de jazz que já foi gravada pela mãe de Minnelli, Judy Garland--, que será lançada no último álbum de Feinstein.

A revista Vanity Fair procurou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, mas não obteve mais esclarecimentos sobre o ocorrido até a publicação da nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos