Livro de memórias do príncipe Harry chega às prateleiras após dias de controvérsia

'Spare', livro de memórias do príncipe britânico Harry, é visto na livraria Waterstones, em Londres

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - Após dias de entrevistas na TV, vazamentos e um lançamento antecipado equivocado, o livro de memórias do príncipe Harry foi oficialmente colocado à venda nesta terça-feira e leitores ansiosos foram às livrarias para obter sua cópia com as revelações íntimas de Harry sobre a família real britânica.

O livro "Spare", de Harry, chamou a atenção em todo o mundo pelas revelações sobre suas lutas pessoais e acusações do príncipe em relação a outros membros da realeza, incluindo seu pai, o rei Charles, a madrasta Camilla e o irmão mais velho, o príncipe William.

"Gosto dele, gosto da família real", disse a vendedora Caroline Lennon, de 59 anos, a primeira e única pessoa esperando para comprar um exemplar na livraria Waterstones no centro de Londres quando a loja abriu. Ela disse que leria o livro imediatamente, enquanto posava para os fotógrafos.

Apesar da falta de filas, a Waterstones disse que tem sido forte o volume de encomendas do livro de memórias, que atualmente está classificado como o mais vendido nos sites da Amazon no Reino Unido, nos Estados Unidos, na Austrália, na Alemanha e no Canadá.

"Spare", publicado pela Penguin Random House, é a mais recente peça reveladora de Harry e sua esposa Meghan desde que deixaram os deveres reais em 2020 e se mudaram para o Estado norte-americano da Califórnia para estabelecer uma nova vida, e vem após o lançamento de seu documentário da Netflix no mês passado.

A família real não comentou o livro ou as entrevistas dadas pelo príncipe e não há expectativa de que se pronuncie.

(Reportagem adicional de Kylie MacLellan e Lion Schellerer, em Cingapura)