Lipoaspiração: tudo o que você precisa saber

Bárbara Nascimento

Basta um pneuzinho aqui, uma gordurinha localizada acolá ou a imagem refletida no espelho não agradar para que a decisão de se submeter a uma lipoaspiração seja tomada. Mas você sabe como escolher um profissional de qualidade e quais cuidados são necessários antes e depois dessa cirurgia plástica, a mais realizada no Brasil (em 2009, 430 mil lipoaspirações foram feitas no país)?

Leia também:
Prepare seu corpo para o biquíni em 7 passos
Dieta anti-TPM: emagreça e alivie os sintomas
Dez mandamentos da dieta seca-barriga
10 alimentos que combatem a celulite





Segundo o cirurgião plástico Fábio Saito, esse procedimento não é indicado para mulheres que querem emagrecer nem um tratamento eficaz para celulite ou obesidade. “A cirurgia serve apenas para mulheres que sofrem com a gordura localizada que não serão eliminadas somente com exercícios físicos e querem melhorar o contorno corporal. Existe um limite de gordura para ser retirado, a partir de uma determinada quantidade o risco do procedimento aumenta”.
 
Quem se submete à lipoaspiração dever ser saudável e relativamente magro, com pele firme, elástica e bom tônus muscular, e apenas 30% acima do peso ideal. Se você se encaixa nesse perfil, saiba quais os principais cuidados que você deve tomar para ter um resultado satisfatório:
 






  • Procure um médico indicado por alguém que conheça o trabalho dele. Esse profissional deve ser  especializado em cirurgia plástica e filiado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Marque consulta com pelo menos dois cirurgiões e compare;
  • Tenha uma conversa clara com seu médico: ele deve perguntar sobre suas expectativas com a cirurgia plástica, aconselhar qual o procedimento adequado, informar sobre o procedimento, falar sobre os riscos envolvidos e deixar a decisão final para você;
  • Cada médico tem um protocolo pós-cirúrgico, mas a cinta modeladora deve ser usada de um a dois meses;
  • A drenagem linfática feita por um profissional treinado é fundamental para diminuir a fibrose e ajudar no processo de recuperação;
  • Evite esforço por 1 ou 2 semanas;
  • Evite o sol para não ficar com manchas na pele, causadas pela presença de equimoses (roxos);
  • Atividades físicas podem e devem ser retomadas um mês e meio após a cirurgia;


O cirurgião também deve tomar algumas precauções para evitar a chamada “barriga de lipo”, aquela barriga irregular. “Isso acontece quando é feita uma lipoaspiração muito superficial do tecido subcutâneo, quando a cirurgia é agressiva demais ou se a paciente não cumprir as recomendações médicas no pós-operatório. O tecido celular subcutâneo (gordura) tem funções, como a de ajudar a regular a temperatura do corpo e de proteção do nosso corpo. Quando a irregularidade é muito visível, pode-se tentar o tratamento com técnicas diferentes. Mas o tratamento dessas irregularidades não é fácil”, conta Saito.
 
Ele também ressalta a importância da dieta e do exercício física depois da operação. Segundo estudo realizado pela pesquisadora Fabiana Bennatti, do qual a equipe da  Clínica Essere foi responsável pelos procedimentos cirúrgicos, observou-se que boa parte das mulheres que fazem lipoaspiração estão propensas a ganhar aumento de gordura visceral, que pode ser prejudicial em longo prazo. “Esse tipo de gordura é mais perigoso do que a gordura localizada logo abaixo da pele e está ligado ao aumento do risco de diabetes tipo 2 e de problemas cardíacos”.
 
Entenda como a lipoaspiração é feita (dados fornecidos pela Clínica Essere):

  • A lipoaspiração pode ser realizada isoladamente, ou em associação a outros procedimentos para redução do abdom;
  • Procedimentos de lipoaspiração podem durar de 1 a 5 horas, dependendo da extensão e técnica empregada. Antes de iniciar a lipoaspiração, a área tratada deve ser limpa e anestesiada. Dependendo da complexidade do procedimento e da quantidade de gordura a ser removida, usa-se anestesia geral,  ou local associada à sedação EV. Após sedação, o cirurgião realiza uma incisão simples ou múltiplas incisões abaixo da linha do biquíni ou no umbigo. Entretanto, o cirurgião pode fazer incisões em locais alternativos, dependendo do procedimento. As cicatrizes são escondidas nos contornos do corpo;
  • Embora existam várias técnicas de lipoaspiração, a técnica tumescente é a mais utilizada. Antes de remover a gordura, injeta-se líquido na área a ser tratada através de um dispositivo com orifício, denominado cânula. A solução, composta de solução salina, lidocaína e epinefrina, auxilia a anestesiar a área tratada, diminui a perda sanguínea e facilita a remoção da gordura;
  • O cirurgião insere a cânula de lipoaspiração na camada de gordura abaixo da pele, fazendo um movimento de vai e vem, soltando e separando a gordura na região. A sucção é feita com um aspirador cirúrgico conectado no lado oposto da cânula, a fim de remover a gordura. Em alguns casos, a gordura pode ser removida manualmente com seringa conectada à cânula. Após procedimento, as incisões são fechadas com sutura, embora algumas incisões são tão pequenas que cicatrizam sem pontos;
  • Pode haver dor, aumento de volume, e pequenos ferimentos após o procedimento;
  • É possível retornar ao trabalho em poucos dias e retomar as atividades normais em aproximadamente uma ou duas semanas. Nota-se melhora da aparência logo após cirurgia. Melhora ainda maior pode ser observada de 4 a 6 semanas após o procedimento, com redução do edema. Os resultados finais serão notados em aproximadamente 3 meses.