Linn da Quebrada revela relação conturbada com a mãe: "Aprendi a gostar"

Linn da Quebrada teve um passado conturbado com a própria mãe
Linn da Quebrada teve um passado conturbado com a própria mãe
  • Linn Da Quebrada não teve uma boa relação com a mãe na infância

  • As duas passaram a morar juntas quando a cantora completou 12 anos

  • Atualmente, elas são melhores amigas e não se desgrudam

Linn Da Quebrada tem um amor incondicional por sua mãe, Lilian. Mas nem sempre foi assim. Até os 12 anos de idade, elas não moravam juntas e precisaram construir uma relação. E quando fez a sua transição de gênero, a cantora ainda tatuou o pronome "ela" na testa para que a matriarca não errasse mais na maneira de se referir a ela.

"Eu aprendi a gostar da minha mãe quando eu fui morar com ela com 12 anos de idade. Até então, eu não tinha uma relação maternal com ela desde que a gente era criança. Eu aprendi a gostar da minha mãe. Então quando a gente foi morar junto, eu olhei para ela e primeiro eu a reconheci como uma mulher", disse Lina ao Gshow.

"Uma mulher negra, trabalhadora, que fazia de tudo para que eu estivesse bem. E a gente foi construindo essa relação e nos aproximando de uma forma que foi muito sincera. Nem sempre a gente se dava bem. Nem sempre as coisas eram maravilhosas", admitiu.

O tempo foi fundamental para que as duas começassem a se conhecer melhor e a se respeitar. E a ex-BBB disse que ambas fizeram um esforço enorme até encontrar o ponto de equilíbrio e estabelecer uma relação de amor.

"Mas aprendemos a criar um vocabulário comum e um terreno onde a gente se sentisse segura uma com a outra a ponto de eu reconhecer todos os esforços e tudo que minha mãe teve que abrir mão pra que eu, meus irmãos e minha irmã estivessem vivos até hoje", disse.

"Então eu sinto que todo esforço que minha mãe fez e todo carinho que ela dedicou, todo suor e todas as lágrimas que ela derramou fizessem com eu nutrisse todo esse desejo de trazer, no mínimo, uma velhice mais confortável pra ela nesse momento."

Na entrevista ao portal da Globo, Lina ainda citou o empenho e força de sua mãe ao tentar defendê-la dos ataques de ódio e transfobia que sofreu por parte do público enquanto estava confinada no BBB22.

"Sou muito grata por tudo que a senhora fez e tudo que você aguentou agora nesse Big Brother. Porque eu sei que a senhora sofreu, chorou muito. Tinham momentos em que ela falava que queria entrar dentro da televisão para me dar conselhos e me abraçar. Eu quero poder retribuir todo o carinho e esforço que a senhora dedicou pra mim de corpo inteiro por todos esses anos para que você possa ser feliz. Não quero que você seja só mãe. Quero que a senhora seja todas as outras coisas mais que possa ser! Que você possa nutrir sonhos, descansar e viver. Te amo, mãe."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos