Linha de bonecos Funko Pop faz sucesso na pandemia

Finanças Internacional
·3 minuto de leitura
HOLLYWOOD, CALIFORNIA - NOVEMBER 07: A general view of atmosphere at the Funko Hollywood VIP Preview Event at Funko Hollywood on November 07, 2019 in Hollywood, California. (Photo by Joe Scarnici/Getty Images for Funko)
HOLLYWOOD, CALIFORNIA - NOVEMBER 07: A general view of atmosphere at the Funko Hollywood VIP Preview Event at Funko Hollywood on November 07, 2019 in Hollywood, California. (Photo by Joe Scarnici/Getty Images for Funko)

Nem mesmo a pandemia global conseguiu impedir as pessoas de colecionar Funko Pops.

Os pequenos bonecos de vinil de cerca de 10 cm de altura custam entre US$ 10 e US$ 15 cada e mostraram ser uma distração acessível nestes tempos difíceis. No entanto, nem sempre foi assim. A Funko se recuperou de uma queda de 49% nas vendas no segundo trimestre e se tornou um caso de sucesso da retomada do setor de brinquedos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

"Estamos muito felizes com o que conquistamos", disse o CEO da Funko, Brian Mariotti, ao Yahoo Finanças Live.

Os ganhos e as receitas da Funko no terceiro trimestre superaram as estimativas dos analistas quando a empresa adotou um modelo de vendas diretas ao consumidor, depois que a maioria dos varejistas fecharam as portas devido à pandemia. Apesar de terem caído quase 40% no acumulado do ano, as ações da Funko (FNKO) tiveram uma alta de 64% nos últimos três meses.

"Passamos a vender os produtos diretamente ao consumidor quando as lojas fecharam", diz Mariotti. "Até junho deste ano, tínhamos apenas 200 produtos próprios no nosso site, e agora temos mais de 2 mil produtos disponíveis".

O e-commerce da Funko apresentou crescimento de vendas de três dígitos no último trimestre e provou que não depende do lançamento de novos filmes para aumentar a demanda pelos produtos licenciados da cultura pop.

"Música, anime e esportes são grandes iniciativas para crescermos como empresa. Percebemos que esse público é um pouco diferente dos fãs obstinados de 'Mandalorian', da Marvel, de Star Wars e da Disney. Estamos muito animados com o setor de música", diz Mariotti.

O primeiro Funko de Selena Gomez, inspirado na música tejana, que é o tema de uma série atual da Netflix, esgotou em apenas 40 minutos. Billy Idol, Post Malone, Ed Sheeran e Britney Spears são outros músicos que também têm um Funko Pop para chamar de seu.

O conteúdo que será lançado em 2021 conta com bonecos da cultura pop inspirados em "WandaVision", da Disney, e no sucesso da Netflix "O Gambito da Rainha".

"Estamos correndo contra o tempo para criar bonecos inspirados na série 'O Gambito da Rainha' e já tivemos uma discussão interna para escolher as três roupas, porque todo o figurino da série é incrível", diz Mariotti.

Essas perspectivas deixaram a Piper Sandler "cautelosamente otimista" em relação à Funko. A empresa de investimentos recentemente atualizou a classificação das ações da Funko de Neutral para Overweight (quando uma ação apresenta um desempenho superior) e elevou sua meta de preço de US$ 6 para US$ 12.

A analista Erinn Murphy vê evidências de "pilares de receita subsequentes" com o recente lançamento da linha de brinquedos Snapsies da Funko em 800 lojas do Target, junto com uma expansão de jogos de tabuleiro e suas iniciativas digitais, que incluem um site recém-lançado em seis países europeus.

Para quem prefere itens personalizados, a Funko acaba de lançar as fábricas mini-Pop na sede de Everett, Washington, e na loja de Hollywood. "Nessas lojas, cada cliente poderá criar o próprio Funko", explica Mariotti.

Por US$ 25, é possível escolher entre milhares de combinações de cabelo, roupas e outras características para criar um boneco personalizado para você ou para dar de presente. Esse processo também poderá ser feito online a partir do ano que vem.

Alexis Christoforous é âncora e repórter do Yahoo Finanças. Siga a Alexis no Twitter @AlexisTVNews.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube