Léo Kret, ex-vereadora trans da Bahia, grava clipe de Anitta: 'quebra de preconceito'

Arquivo Pessoal

Por Aline Nobre (linesnobre)

Léo Kret do Brasil, a transsexual mais querida da Bahia, participou nesta quinta-feira (31) do novo clipe de Anitta, “Bola, Rebola”, em Salvador. A música tem participação de J. Balvin, Tropkillaz e Mc Zaac.

Receba novidades sobre o mundo dos famosos (e muito mais) no seu Whatsapp

“A Anitta sempre apoiou o movimento LGBT, deu oportunidade a pessoas trans, gays. E de certa forma, eu participar do clipe, ajuda a quebrar um pouco o preconceito que o nosso Brasil e o mundo tem. Aparecer em um clipe da Anitta faz com que muitas pessoas que não gostam, passem a pesquisar e a saber da nossa história [transgênero] e, quem sabe, passem a gostar. Estamos aqui para resistir, com resistência e unidas, somos mais fortes. Anitta é a melhor”, afirma Léo ao Yahoo.

Arquivo Pessoal

Léo ficou famosa na capital baiana por conta de sua carreira política, ela teve a quarta maior votação para ocupar o cargo de vereadora da cidade e exerceu o mandato de 2009 a 2012.  Foi a primeira parlamentar municipal transexual de Salvador, e em novembro de 2009 ganhou na Justiça o direito de usar o nome “Léo Kret do Brasil”. Para ela, a sua participação no clipe é uma forma de reconhecimento, e é importante não apenas para ela, mas como para todas transexuais e todos do movimento LGBT.  “A Anitta é  a maior artista do Brasil, com visibilidade internacional incrível”, ressalta.

Leia mais: Vai, malandro! Homens aderem à moda da marquinha com fita isolante

O convite para gravar o videoclipe partiu direto da cantora no WhatsApp da ex-vereadora, sem aviso prévio. “Recebi a mensagem dela hoje dizendo: ‘Léo, quero você no meu clipe, eu estou aqui e venha participar’; aí perguntei que horas era e qual era o figurino. Ela pegou e mandou a foto para mim, só tapando o biquinho do peito. (risos), aí eu prontamente me arrumei e fui ao encontro da diva maravilhosa master Anitta”, conta.

Arquivo Pessoal

A trans comentou ainda a polêmica envolvendo Nego do Borel e Luisa Marilac, quando o cantor se referiu a Luisa como um homem. Para a artista, o cantor errou, mas merece ser desculpado.

“Vejo que muitos homossexuais, trans, brincam da mesma forma que ele brincou e não vejo essas polêmicas todas. Acho que ele merece uma chance sim, realmente ele fez um comentário que nós não aceitamos, pois passamos por muitos preconceitos e uma brincadeira dessa pode se tornar algo muito grande, uma bola de neve. Mas desde quando ele pediu desculpas  passei a apoia-lo e a perdoar. Ele é uma pessoa muito brincalhona pelo o que vejo nas redes sociais, e pelo o que Anitta fala sobre ele. Então, vi que ele pediu desculpas e porquê não perdoar? Só quem pode julgar é Deus né?’, opina.

Banho de tanque e churrasquinho: os bastidores do clipe da Anitta

Arquivo Pessoal

As imagens do clipe foram rodadas na comunidade do Solar do Unhão, que fica no bairro da Gamboa. O vídeo mostrará pessoas que curtem o funk no gueto. Léo conta que foi muito bem recebida no local das gravações e mostrou detalhes em suas redes sociais.

“Tive uma recepção maravilhosa. Tive o prazer de conhecer a Anitta em uma participação dela no Salvador Fest e desde então ela me convida para fazer participações com ela nos palcos. Nós estamos aqui no camarim e ela só usa o que ela quer, o que ela gosta, ela é muito maravilhosa“, diz.

A trans adiantou alguns detalhes sobre o clipe, ainda sem data de estreia. “O local que escolheram para gravar é lindo, junta a comunidade e o mar. Anitta gravou tomando sol com o MC Zaac,  gravou na laje, comendo um churrasquinho, teve banho de tanque, está muito lindo, o povo vai amar. Ela colocou um cabelo bem sereia. Quando passava, os baianos gritavam linda, sereia e ela ficava imitando. O clipe está a cara dela”.

Em 2013, Léo retomou sua carreira artística. Liderou o grupo de funk “Léo Kret & As Novinhas” e foi dançarina por sete anos da banda de pagode Saiddy Bamba. Atualmente ela é funcionária pública na prefeitura de Salvador, e trabalha na ouvidoria setorial da secretaria municipal de reparação.