Leo Índio, sobrinho de Bolsonaro, participou de ataques golpistas em Brasília

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O sobrinho do ex-presidente Jair Bolsonaro participou dos ataques golpistas que aconteceram no domingo (8), em Brasília. Em postagem nas redes sociais, Leonardo Índio mostrou uma foto com diversos manifestantes golpistas atrás e disse que os olhos estavam vermelhos devido ao gás lacrimogêneo.

"Quem tem histórico de destruir patrimônio público é a esquerda. [Eles] focarão no vandalismo, certamente. Mas sabemos a verdade. Olhos vermelhos significa gás lacrimogêneo, disparado pelas forças de segurança, que não focaram nos focos [sic] de destruição, jogaram em todos os manifestantes. Busquem os verdadeiros vândalos e também os covardes mascarados e fantasiados de patriotas", escreveu.

Ele também postou vídeos em que os golpistas são atingidos por bombas para dispersar a multidão e disse que "patriotas não cometem vandalismo."

Leo foi um dos nomes ligados ao ex-presidente Bolsonaro que não conseguiram se eleger. Ele tentava uma vaga como deputado distrital pelo PL (Partido Liberal) e já trabalhou como assessor do partido no Senado até ser exonerado, em setembro de 2021, por não comparecer ao trabalho desde março.

Ele também foi investigado por atos no 7 de setembro, quando postou uma campanha de financiamento para a data.