The Last of Us: "Se você tentasse replicar os jogos, seria chato", revela criador sobre diferenças da adaptação da HBO (Entrevista)

The Last of Us é uma das principais apostas da HBO, esperada adaptação dos famosos jogos de videogame que conta com Pedro Pascal e Bella Ramsey como protagonistas. Em entrevista ao AdoroCinema, Neil Druckmann (criador dos jogos) e Craig Mazin (criador da aclamada minissérie Chernobyl) falaram sobre o desenvolvimento desta adaptação.

Druckmann, diretor de criação e roteirista dos jogos, é co-criador da série de The Last of Us ao lado de Mazin e comentou sobre as diferenças entre trabalhar na obra original e mais tarde em sua adaptação pela HBO. "No jogo, a história não existia, eu estava construindo algo do nada. Outra coisa é que quando você faz um jogo, muito disso é sobre imersão. Então você está tentando fazer o jogador se sentir como se fosse o personagem. Eles são Joel e mais tarde na história eles são Ellie e então você está tentando fazer com que eles se movam em um espaço contíguo controlando a câmera. Eles estão controlando o ritmo no caminho. Uma série é muito diferente. Se você tentasse replicar o jogo, seria chato".

Por isso, Neil Druckmann reforça que se tratava de escolher o que funcionaria ou não na adaptação em série. "Quando fizemos a produção, o jogo existia. Então, primeiro foi meio que dissecá-lo e estudá-lo e dizer, 'Ok, o que é importante para manter? O que traduziria um para um e devemos mantê-lo?' Se não houver motivo para alterá-lo, não devemos mudá-lo. E quais são as coisas que são exclusivas de jogos como isso que eu estava descrevendo sobre a imersão? Se funciona só em um, então isso tem que mudar. O que nós mudamos para isso? O que podemos aproveitar aqui? E a grande coisa, como nosso molho secreto, era: 'Oh, podemos deixar Joel e Ellie'. Podemos deixar a perspectiva deles e ir para outro lugar e passar o tempo... acho que essa é a grande diferença", completa.

O que os fãs podem esperar da adaptação The Last of Us?

Os nove episódios da primeira temporada vão adaptar os eventos do primeiro jogo, The Last of Us (2013), e da expansão Left Behind (2014). "Existem muitos desafios para adaptar videogames para televisão ou filmes e sabemos disso porque vimos muitas adaptações ruins. Certamente estávamos preocupados e cientes disso", disse Craig Mazin sobre a responsabilidade, especialmente considerando o fracasso de muitas adaptações.

Para sua sorte, muitas coisas ajudaram na produção da série, visando manter a essência da história. "É uma história incrível e um jogo maravilhoso de se jogar, eu joguei um zilhão de vezes. Mas os personagens, os relacionamentos e a narrativa eram tão bonitos e podiam se destacar da jogabilidade. A outra coisa que tínhamos era Neil [Druckmann], que como criador era o colaborador mais flexível, inteligente e generoso. Então ele permitiu que brincássemos e estivéssemos nos limites das coisas que podíamos mudar de perspectiva. Portanto, nem sempre é com Joel e Ellie, às vezes com outros personagens que preenchemos lacunas, expandimos e fazemos tudo a serviço dessa grande história. Então, tudo é sobre fazer essa história ganhar vida neste meio para fazer uma adaptação adequada e acho que os fãs vão adorar e também as pessoas que não sabem nada sobre o videogame, que vão experimentar e amar do jeito que eu amo jogar o jogo", completa.

"Em primeiro lugar, e acima de tudo, eles [os fãs] podem esperar um drama da HBO bem elaborado. Esse foi o passo mais importante que tivemos. Se não conseguirmos, falharemos", disse Neil Druckmann, prometendo easter eggs para os fãs dos jogos, que terão "uma visão melhor do que está acontecendo do que alguém que não jogou".

Os eventos de The Last of Us se passam vinte anos após a destruição da civilização moderna, como resultado de uma infecção de fungos parasitas Cordyceps. Joel (Pedro Pascal), um sobrevivente durão que vive de contrabandos, é contratado para levar Ellie (Bella Ramsey), uma garota de 14 anos, para fora de uma zona de quarentena opressiva – com a esperança de que ela ajude na cura por causa de sua imunidade à infecção. O que começa como um pequeno trabalho logo se torna uma jornada brutal e dolorosa, pois ambos devem atravessar os Estados Unidos e depender um do outro para sobreviver.

The Last of Us estreia em 15 de junho na HBO e HBO Max.

Leia o artigo em AdoroCinema

The Last of Us é "uma experiência muito mais completa para assistir", afirma criador de Chernobyl

Menos sangue na tela: Criador de The Last of Us promete apenas violência "essencial" na série da HBO

The Last of Us será "a melhor e mais autêntica adaptação de jogo", provoca criador da série na HBO

The Last Of Us: Tudo sobre os jogos que inspiraram a série na HBO Max