The Last of Us, da HBO, dá esperança ao mercado de adaptações de videogames

Por Rollo Ross e Danielle Broadway

LOS ANGELES (Reuters) - O videogame "The Last of Us", de 2013, foi um sucesso de crítica e público graças a uma narrativa poderosa. Dez anos depois, essa história está indo para a televisão, na HBO, no que a indústria cinematográfica espera ser um prenúncio de uma adaptação artística de videogames para TV e cinema.

O premiado jogo criado pelo desenvolvedor de videogame Naughty Dog e publicado pela Sony, segue o sobrevivente Joel e sua jovem protegida Ellie enquanto ambos navegam em um mundo pós-pandêmico lutando contra pessoas e criaturas mutantes.

O thriller de zumbis que estreia no domingo é estrelado pelos veteranos de "Game of Thrones" Pedro Pascal e Bella Ramsey. A série de TV recebeu críticas elogiosas dos críticos, obtendo uma pontuação de 97% no Rotten Tomatoes.

"Não deveria ser surpreendente que um drama baseado em um videogame possa ter coração. Um jogo excelente e inteligente depende da conexão pessoal", escreveu o crítico do New York Times James Poniewozik.

Simon Cardy, da IGN, chamou a série de "releitura brilhante de uma das histórias mais amadas dos videogames, que reencontra a faísca do que a tornou tão especial para muitos, deixando-a atacar novamente com um efeito impressionante".

Na feira de tecnologia CES 2023 da semana passada, o executivo-chefe da Sony, Kenichiro Yoshida, disse que a Sony tem 10 filmes inspirados em jogos e projetos de TV em vários estágios de desenvolvimento.

O showrunner Craig Mazin, criador da minissérie da HBO "Chernobyl", disse à Reuters que, embora adore jogos que o levem ao espaço e ao passado, adaptou "algo que era fundamentado e real, pensei, era lindo – até mesmo os monstros".

(Por Rollo Ross, Danielle Broadway e Dawn Chmielewski)