Larry King deixa herança de U$ 2 milhões para os cinco filhos

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O apresentador de TV americano, Larry King, deixou um testamento manuscrito dividindo sua fortuna de U$ 2 milhões igualmente entre seus cinco filhos, segundo a revista People. A ex-mulher, Shawn Southwick King, foi deixada de fora do testamento. O lendário apresentador morreu no dia 23 de janeiro, após ter contraído Covid-19. "Esta é a minha última vontade e testamento", afirma o documento. "Deve substituir todos os escritos anteriores. No caso de minha morte, em qualquer dia após a data acima, quero que 100% [colocado acima do risco ilegível] de meus fundos sejam divididos igualmente entre meus filhos Andy, Chaia, Larry Jr. , Chance & Cannon. " O documento foi escrito em 17 de outubro de 2019, dois meses depois que King pediu o divórcio de sua sétima mulher, Shawn Southwick King. O testamento também foi escrito menos de um ano antes da morte dos seus filhos Andy e Chaia, que morreram com meses de diferença em 2020. O apresentador morreu em 23 de janeiro, em Los Angeles, aos 87 anos. Ele estava internado desde o final de dezembro, depois de ter contraído Covid-19. A morte foi anunciada em nota postada em seu seu perfil oficial no Twitter. Ele apresentou por 25 anos o talk show Larry King Live, na CNN americana, em que entrevistava políticos, celebridades, atletas, estrelas de cinema e pessoas comuns. A atração acabou em 2010, mas ele continuava ativo com o Larry King Now, programa disponível em plataformas de streaming. Nascido em 1933 no bairro do Brooklyn, em Nova York, King teve uma carreira de mais de 63 anos, em que transitou por televisão, rádio e internet. Além do famoso Larry King Live, também comandou os programas Larry King Now e Politicking with Larry King. "Embora seu nome estivesse no título de seus programas, Larry sempre viu seus entrevistados como as verdadeiras estrelas, enquanto ele se via como um mero condutor imparcial entre o convidado e o público", afirma a produtora Ora Media, em nota. "Ele acreditava que perguntas concisas geralmente geravam as melhores respostas, e ele não estava errado com essa crença." King tinha diabetes tipo dois, o que é considerado um fator de risco para a doença. Em 2017, o apresentador foi submetido a uma cirurgia para retirar um câncer de pulmão. Ele também já enfrentou problemas cardíacos.