Klara Castanho lembra traição: "Fui corna aos 14 anos"

Klara Castanho. Foto: reprodução/Instagram/klarafgcastanho
Klara Castanho. Foto: reprodução/Instagram/klarafgcastanho

Klara Castanho decidiu compartilhar com seus seguidores uma situação bastante pessoal: uma traição que sofreu há alguns anos. Segundo a atriz, a história era boa demais para ficar restrita aos amigos e familiares.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Fui corna aos 14 anos”, revelou a intérprete, que hoje tem 19.

Leia também:

Ela começou contextualizando o episódio. “Meu primeiro beijo foi aos 12. Depois de dois anos, é que eu fui beijar na boca de novo com essa pessoa. Ele era uma pessoa que ficava com todo mundo e eu achei que tinha tirado a sorte grande, porque ele pegava todo mundo, mas resolveu namorar comigo”, contou.

Klara admitiu que estava apaixonada, mas um mês depois soube da traição. Depois de perdoá-lo, reatou cinco dias depois, e, no fundo, ela sabia que a relação ioiô não tinha futuro. Mas o relacionamento ficou mais sério.

“Eu fui pedida em namoro dia 4 de julho. Dia 9 ele me deu a aliança. Vocês concordam que a data tinha que ser dia 4? Foi dia 9 porque era aniversário de uma amiga minha. Ele resolveu que era uma homenagem no nosso relacionamento para ela”, continua.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Tudo isso acontecia sem o conhecimento dos pais da atriz. “Eu achava que eu saiba muito o que eu estava fazendo. Hoje, com 19 anos, eu vejo que, se eu tivesse nessa situação de novo, não deixaria chegar nesse estágio”, ponderou.

Mas, graças a uma notificação do celular, a mãe de Klara acabou descobriu o namoro. “Ela descarregou coisas para cima de mim. Eu entendo completamente o que ela sentiu, porque eu a enganei. Ela se sentiu traída porque eu realmente menti. E muito. E mentia sobre tudo. Tinha medo de escorregar na história”, continuou ela, que acha que teria lidado com toda a situação de maneira diferente se não tivesse escondido o relacionamento.

“Hoje em dia, eu rio. Mas, na época, eu chorei baldes e baldes. Se minha mãe tivesse sabido no primeiro mês, eu não teria passado por nada disso, porque ela já teria mandado a pessoa correr em dois segundos”, afirmou.