Kiernan Shipka diz como é atuar com ela própria e dá adeus a 'O Mundo Sombrio de Sabrina'

VITOR MORENO
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Aos 21 anos, Kiernan Shipka fala com a autoridade de quem já tem bastante experiência em frente às câmeras. E não é para menos. A atriz, que estreou fazendo uma participação aos cinco meses de idade na série "ER", é conhecida mundialmente desde que interpretou a espevitada Sally Draper no sucesso de crítica "Mad Men" (2007-2015). É por isso que, agora, ela diz se sentir pronta para se despedir da personagem que a acompanhou pelos últimos três anos, a bruxa adolescente que protagoniza "O Mundo Sombrio de Sabrina". A quarta e última parte da série (cujas duas temporadas foram lançadas com duas levas de episódios) estreia no catálogo da Netflix nesta quinta-feira (31). "Nós filmamos há quase um ano, então sinto que tive bastante tempo para processar o final e fazer meu encerramento pessoal e dar um adeus pessoal à personagem", conta a atriz em entrevista à reportagem. "Eu consegui fazer as pazes com o fato de a série estar terminando e, agora, estamos compartilhando com o mundo, o que é adorável." A trama é baseada na personagem Sabrina Spellman, da Archie Comics, que já rendeu também a série "Sabrina, Aprendiz de Feiticeira" (1996-2003), com Melissa Joan Hart no papel principal. Porém, como indica o título, a versão de agora é bem mais sombria. No final da primeira parte da segunda temporada, que estreou em janeiro, Sabrina havia se dividido em duas, uma que continuava com a vida de colegial no presente e outra que havia assumido o posto de rainha do Inferno. As duas versões voltam a dar as caras na nova temporada e precisarão trabalhar juntas para salvar Greendale e o mundo de seres malignos. "É muito divertido", afirma Shipka sobre contracenar consigo mesma. "Eu me diverti muito brincando com as duas personagens e comecei a tentar torná-las um pouco diferentes. Foi um grande desafio absolutamente, mas bem divertido." Ela explica o que tentou colocar em cada uma das versões da personagem. "Sabrina Spellman é a Sabrina de sempre, que eu não queria mudar muito porque já estava funcionando", diz. "Mas com a Sabrina Morningstar, eu quis fazê-la um pouco mais agitada e, também, um pouco mais jovem, porque eu senti que a outra teve uma vida mais pé no chão até fazer 16 anos." Além disso, a atriz promete que haverá espaço para explorar a vida amorosa de Sabrina nos episódios inéditos. Ela não dá spoilers sobre se a personagem deve ficar com Harvey (Ross Lynch) ou Nick (Gavin Leatherwood), tema que costuma ser debatido ardorosamente entre os fãs da série. "Sabrina inevitavelmente vem com questões românticas, isso é meio da natureza dela", avalia a atriz. "E, sim, é a última parte e escolhas serão feitas. Vamos descobrir qual é o fim do jogo para esses personagens." Com o fim desse ciclo, a jovem diz que pretende continuar a investir na carreira de atriz. "Quero explorar personagens diferentes e, pelo tempo que tenho atuado profissionalmente, espero fazer isso enquanto puder", afirma. "Estou aberta para o que vier a seguir e tenho muita sorte de ter tido papéis que me deram a chance de poder explorar opções realmente interessantes para o futuro." Perguntada, Shipka só pensou um pouco sobre qual seria o feitiço que ela gostaria de lançar na vida real, se tivesse essa capacidade. Mas tratou logo de responder: "Ai, meu Deus, acho que seria algo no sentido de fazer as pessoas se amarem e emanarem energias positivas umas para as outras, isso seria ótimo!"