Kevin Spacey retorna aos cinemas em drama italiano após acusações de assédio

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ator Kevin Spacey, 61, marca seu retorno ao cinema após ser escalado em um drama italiano sobre um homem acusado de pedofilia, segundo a People. O artista estava fora de produções desde 2017, quando recebeu diversas acusações de assédio.

O filme será dirigido por Franco Nero, de "Django Livre" (2012) e Spacey deve fazer uma participação especial interpretando um detetive da polícia no longa-metragem italiano. "Fico muito feliz que Kevin tenha concordado em participar do meu filme", disse Nero à ABC News.

A produção foi intitulada como "L'uomo che disegnò Dio", "O Homem que Desenhou Deus" em português. Além do ator, o elenco do filme também conta com Vanessa Redgrave, esposa do diretor, como a estrela do longa.

"Eu o considero um grande ator e mal posso esperar para começar o filme", continuou Nero. Spacey ainda não se pronunciou sobre o assunto. Recentemente, foi revelado que o ator pode conseguir se esquivar de um processo de agressão sexual, no valor de US$ 40 milhões (R$ 217 milhões na cotação atual), se o acusador não revelar sua identidade, segundo o site Deadline.

Um juiz federal de Nova York negou a um acusador anônimo sua ação para manter a identidade privada no processo de agressão, que envolve os valores milionários, movido em setembro de 2020. Sob o pseudônimo de C.D., o demandante tem dez dias para arquivar o caso em seu verdadeiro nome.

Os advogados do acusador disseram ao tribunal que seu cliente sente ser "emocionalmente incapaz de prosseguir com a ação e irá encerrar suas reivindicações." Spacey teria outra ação legal contra ele sendo dissipada. Segundo o juiz Lewis A. Kaplan, um dos fatores decisivos sobre o assunto foi o fato de C.D. ter conversado com muitas pessoas, inclusive com Anthony Rapp, 49, sobre a acusação.

Rapp, estrela de "Star Trek", acusou o ator em outubro de 2017 de fazer avanços sexuais inapropriados em sua direção quando tinha apenas 14 anos. O ator é abertamente gay, trouxe as alegações em um artigo do BuzzFeed publicado poucas horas antes Spacey se desculpar e se assumir um homem gay.

Rapp disse que Spacey, então com 26 anos, o convidou para uma festa em seu apartamento em Manhattan em 1986. Ele disse que era o único adolescente na festa e passou a maior parte da noite em um quarto assistindo televisão, quando percebeu que todos haviam saído e ele estava sozinho com Spacey.

"Ele estava tentando me seduzir", disse Rapp sobre o ex-ator de "House of Cards" (2013). "Eu não sei se eu teria usado essa linguagem. Mas eu sabia que ele estava tentando ficar comigo sexualmente."

No mesmo dia, Spacey fez um comunicado dizendo que não se lembrava do suposto incidente, e pediu desculpas por "o que teria sido um comportamento bêbado profundamente impróprio". Por fim, ele anunciou: "Eu escolho agora viver como um homem gay."