Kendrick Lamar, Olivia Rodrigo e outros protestam contra revogação de direito ao aborto nos EUA

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Kendrick Lamar se apresenta como headliner no quinto dia do Festival de Glastonbury, England. (Foto: Samir Hussein/WireImage)
Kendrick Lamar se apresenta como headliner do Festival de Glastonbury no dia 26 de junho de 2022, England. (Foto: Samir Hussein/WireImage)

Depois de duas edições canceladas devido a pandemia, o festival britânico de Glastonbury retornou com apresentações de grandes nomes da música e ficou marcado por protestos. Artistas como o rapper Kendrick Lamar e as cantoras Olivia Rodrigo e Billie Eilish se posicionaram contra a revogação de direito ao aborto diante do público de 200 mil pessoas.

No primeiro dia de shows, Billie Eilish, a artista mais jovem a se apresentar como atração principal em Glastonbury, lamentou a decisão da Suprema Corte. "Hoje é um dia realmente obscuro para as mulheres nos Estados Unidos. Só vou dizer isso porque não aguento mais pensar no assunto", disse antes de performar "Your Power". A canção fala de uma menina que sofre abusos de um homem mais velho e passa a questionar todo o poder que o agressor ainda tem em mãos.

Com apenas 19 anos, Olivia Rodrigo se apresentou no sábado (25) e foi mais precisa em seu protesto. A artista convidou Lily Allen para cantar o hit "F*ck You" e citou o nome dos cinco membros da Suprema Corte que votaram pela revogação da lei.

"Eu estou devastada porque muitas mulheres e meninas vão morrer por causa disso. Queremos dedicar a próxima canção aos 5 membros da Suprema Corte que nos mostraram não dar a mínima para a liberdade. Esta canção é para vocês, Samuel Alito, Clarence Thomas, Neil Gorsuch, Amy Coney Barrett e Brett Kavanaugh. Nós odiamos vocês", disse Olivia.

Usando uma coroa de espinhos e com manchas de sangue espalhadas pelo corpo, Kendrick Lamar encerrou sua apresentação no festival no último domingo (27) com um discurso antes de performar a faixa "Savior" e falou sobre a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos.

A “‘Savior’ é a minha faixa favorita do álbum. É o verdadeiro significado da imperfeição. A imperfeição é linda. Eu uso esta coroa como uma representação para que você nunca esqueça um dos maiores profetas que andou nesta terra. Eles te julgam e eles julgaram Cristo”, afirmou. “Eles julgam você, eles julgam Jesus Cristo, Deus permita os direitos das mulheres”, completou ao soltar o microfone no chão e deixar o palco.

Entenda o caso

Em vigor desde 1973, a decisão Roe vs. Wade, que reconhecia o direito constitucional das mulheres, de realizar um aborto de forma legal nos Estados Unidos, foi revertida pela Suprema Corte do país. A decisão ocorreu na última sexta-feira (24), por 6 votos a 3 e gerou protestos no mundo inteiro.

Agora caberá a cada estado norte-americano decidir qual será a posição em relação à legalização do aborto. Após a decisão, pelo menos 13 dos 50 estados se preparam para tornar o aborto ilegal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos