Keira Knightley decide não gravar mais cenas de sexo dirigidas por homens

Bruna Nogueira
·2 minuto de leitura
A atriz disse não gosta da forma como sexo é retratado por diretores homens (Reprodução)
(Reprodução)

Conhecida por estrelar filmes como “Simplesmente Amor”, “Orgulho e Preconceito” e “Anna Karenina”, Keira Knightley fala sobre sua nova atitude em relação a filmar cenas íntimas dirigidas por homens. Durante uma aparição no podcast ‘Chanel Connects’, a atriz conversou com a diretora Lulu Wang (“The Farewell”) e a roteirista e produtora Diane Solway sobre sua decisão de não participar mais de cenas de sexo dirigidas por um diretor. Trechos da conversa foram compartilhados pelo EW na última segunda-feira (25).

Knightley explicou que a relação dela com o próprio corpo mudou desde que teve filhos e que só se sentiria confortável ficando nua novamente em uma cena que retrate a maternidade ou carregue uma mensagem de amor próprio. Ela também disse acreditar que a visão de diretores homens em relação ao que é sexo e como cenas intímas são apresentadas no cinema não refletem o ponto de vista feminino.

A atriz passou a compartilhar o quão desconfortável se sente retratando cenas dessa natureza quando vêm do ponto de vista do olhar masculino, mas admitiu que quando uma cena de sexo parecer necessária, ela optará por uma dublê de corpo. “Sou muito vaidosa e meu corpo já carregou dois filhos, agora eu prefiro não ficar nua na frente de um grupo de homens”, disse ela.

“Se eu estivesse fazendo uma história que fosse sobre a jornada da maternidade e aceitação do corpo, eu sinto muito, mas isso ainda teria que ser com uma cineasta”, disse Knightley. “Não tenho uma proibição absoluta, mas eu gosto de homens. Não quero que sejam aquelas cenas de sexo horríveis em que você está todo engordurado e todo mundo grunhe. Não estou interessada em fazer isso”, explicou.

Esta não é a primeira vez que Knightley fala sobre suas interações com diretores. Em um ensaio de 2018, ela escreveu sobre os padrões impossíveis geralmente esperados das mulheres pelos homens. “Eles me dizem o que é ser mulher. Seja legal, dê apoio, seja bonita, mas não muito bonita, seja magra, mas não muito magra, seja sexy, mas não muito sexy, tenha sucesso, mas não muito sucesso… Mas eu não quero flertar e nem ser mãe deles. Não quero flertar com você porque não quero transar com você – e não quero ser sua mãe porque não sou sua mãe … Só quero trabalhar, companheiro”, escreveu ela.