Kate Winslet quebra recorde de Tom Cruise em "Avatar 2"; saiba qual

Atriz interpreta Ronal no novo filme da franquia comandada por James Cameron

Kate Winslet na pré-estreia de
Kate Winslet na pré-estreia de "Avatar: O Caminho da Água" no Odeon Luxe Leicester Square em 6 de dezembro de 2022 em Londres, Inglaterra. Ao lado, Tom Cruise no filme "Top Gun: Maverick". (Foto: Dave J Hogan/Getty Images/Divulgação/Paramount Pictures)

"Avatar: O Caminho da Água" já está em cartaz nos cinemas brasileiros e apresenta uma nova área de Pandora: as tribos aquáticas do planeta. Para tornar o filme ainda mais realista, o diretor James Cameron decidiu que todas as cenas subaquáticas fossem filmadas em uma grande piscina e a atriz Kate Winslet ("Titanic") conseguiu quebrar um recorde que antes pertencia a Tom Cruise ("Missão Impossível").

O elenco do filme passou por um intenso treinamento respiratório para atuar enquanto passavam um longo período submersos e sem respirar. No papel de Ronal, a artista ficou sete minutos e quatorze segundos sem respirar debaixo d’água, superando o tempo do astro dos filmes de ação, que durante as filmagens de "Missão Impossível: Nação Secreta" (2015) ficou seis minutos e trinta segundos sem respirar para realizar uma sequência na água.

Em entrevista ao site "The Hollywood Reporter", Winslet afirmou que se sentiu “incrível” e "definitivamente melhor" por ter atingido uma marca inédita na história do cinema. Durante conversa com a "Total Film", a artista disse que chegou a acreditar que tinha morrido quando voltou à superfície da piscina após quebrar o recorde. "Eu tenho um vídeo de mim vindo à tona dizendo: 'Estou morta? Eu morri?' E então: qual foi meu tempo?'", revelou.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“Avatar 2” teve cenas de ação cortadas

"O Caminho da Água" tem mais de 3h de duração e, inicialmente, a ideia do diretor James Cameron era que o filme fosse ainda mais longo e violento. O cineasta mudou de ideia e cortou as cenas de tiroteio para evitar “fetichizar armas”.

“Cortei cerca de 10 minutos do filme visando a ação do tiroteio", declarou em entrevista à "Esquire". "Eu queria me livrar um pouco da feiúra, encontrar um equilíbrio entre a luz e a escuridão. Você tem que ter conflito, é claro. Violência e ação são a mesma coisa, dependendo de como você olha para isso. Esse é o dilema de todo cineasta de ação, e sou conhecido como um cineasta de ação”.

Cameron explica que mudou sua visão sobre a forma de retratar cenas violentas após o ataque em uma mesquita na Nova Zelândia, onde ele mora atualmente. “Eu olho para trás em alguns filmes que fiz e não sei se gostaria de fazer aquele filme agora. Não sei se gostaria de fetichizar a arma, como fiz em alguns filmes do Exterminador do Futuro há mais de 30 anos, em nosso mundo atual. O que está acontecendo com as armas em nossa sociedade revira meu estômago”, completou.