Karoline Lima diz que foi processada por Militão ainda grávida

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Entrevistada do Pod Delas, a modelo Karoline Lima, 26, revelou que chegou a ser processada pelo ex-marido, o jogador Éder Militão, enquanto ainda estava grávida. Dias antes de receber Cecília, hoje com três meses, o casal terminou o relacionamento.

"Ele falava muito da questão de ser pai, e se ele queria tanto talvez ele proporcionasse uma experiência que nunca tive. Eu queria ter um filho com alguém disposto a ser pai", começou Karol.

"Ele trabalhava muito, e a minha filha estava prevista para nascer no dia 23 de julho, dia que ele já estava com a uma viagem programada. Foi aí que eu falei: 'não, eu queria muito que você estivesse comigo'", emendou.

"Daí eu disse para ele: 'eu queria me dispor a fazer uma cesárea no dia 10 de julho, já que foi o dia que a gente se conheceu e foi quando você me pediu em namoro'", lembrou a influenciadora que tinha a ideia de que isso pudesse ajudar no relacionamento que não vinha bem.

Apesar da tentativa, a modelo revela que os médicos iniciaram uma indução ao parto natural, o que acabou adiantando a chegada de Cecília. Só que o que ela nem sabia era que dias antes, Militão já a processava.

"Já estava sendo processada por ele sem saber. Só foi [o parto] dia 10 para dar esse presente a ele e ressignificar nossa história. Terminamos dia 6."