“Eu me senti descartável” diz Karol Conká pela falta de apoio

·2 minuto de leitura
Karol Conká e o influenciador digital Spartakus durante live no Youtube

Karol Conká parece ter superado e aprendido com a rejeição que sofreu durante e após sua saída do Big Brother Brasil 21. Em uma live com o influenciador digital, Spartakus, a cantora falou sobre a rede de ódio que se formou contra ela, a dificuldade em superar tudo que passou, e como a falta de apoio das pessoas pretas doeu na curitibana.

“Doeu porque eu acho que é o mínimo que a gente espera, o mínimo de compressão daqueles que vivem as mesmas coisas que a gente. Eu fiquei com essa reflexão quando percebi que nas últimas semanas erros recorrentes de pessoas brancas, tinha o apoio de outras pessoas famosas brancas, “ela reconheceu o erro, tudo bem, quem nunca errou?”. E aí fica parecendo, que eu, mesmo reconhecendo o meu erro, não é verdadeiro, que não sou merecedora de compreensão ou acolhimento. Eu me senti descartável”.

Leia também:

“Obviamente tiveram pessoas pretas que me escreveram, pessoas que me deram apoio, foram pouquíssimas, e algumas que não queriam trazer esse apoio a público por mim. Eu fico me questionando o porquê de tudo isso, porque somos duros com a gente mesmo. Eu não tenho medo, sou muito corajosa pra enfrentar as aventuras da vida, pra fazer cagada, pra reconhecer e transformar em algo produtivo”, disse ela, que não guarda mágoas.

Relembrando um pouco a sua trajetória na casa, a rapper reconheceu estar insegura, no momento em que participou do BBB21. “O que aconteceu ali, é que o Big Brother é o maior entretenimento que a gente tem no Brasil, ainda mais em época de pandemia, eu sou uma figura colorida, eu prefiro dizer estranha, e aí chegar num reality me sentindo totalmente insegura, vamos combinar, ali eu estava me sentindo o uó por dentro, não queria que ninguém notasse. Eu fiquei insuportável. Eu fui muito provocativa, vi as cenas depois, tem coisas que é óbvio que não lembro, mas fui provocativa, tinha momentos que eu virava pra câmera, para o Brasil e falava, sabe? Alfinetava. Eu estava virada na amargura, no azedume”, disse consciente. Hoje, a ex-bbb consegue falar disso tudo com mais tranquilidade.

Com um novo trabalho, o single, ‘Dilúvio’, Karol também lança nesta terça-feira, 15, uma série no Instagram sobre saúde mental, ‘Vem K’. “Quando eu percebi que estava num dilúvio, não consegui seguir a minha vida sem trazer isso, a minha camada obscura foi tão exposta que não adianta eu só me isolar e fazer de conta que está tudo bem, não está tudo bem, eu estou triste ainda, me sinto muito triste, eu já consigo sorrir, não estou mais tão deprimida, mas ainda estou triste com o que aconteceu”, desabafou a rapper. “Eu ainda sinto remorso por ter feito muita gente chorar. Estou voltando a gostar de mim novamente”, contou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos