Kanye West terá que pagar US$ 1 bi para poder usar marca White Lives Matter

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - Show do rapper americano Kanye West durante o festival SWU, em SP. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP - Show do rapper americano Kanye West durante o festival SWU, em SP. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Kanye West terá que desembolsar pelo menos US$ 1 bi (mais de R$ 5 bi) caso esteja realmente disposto a comprar a marca White Lives Matter. A frase, que significa "vidas brancas importam" em português, foi usada recentemente pelo rapper e empresário em camisetas de sua marca, a Yeezy, em uma referência ao movimento Black Lives Matter.

A marca pertence a dois radialistas negros, Ramses Ja e Quinton Ward. Segundo o site TMZ, eles não têm a intenção de vender os direitos da frase --mas, caso algum comprador em potencial se interesse, teria que oferecer pelo menos US$ 1 bi para eles considerarem a oferta.

Ja considera que o mais importante é ajudar organizações que ajudem os direitos da população negra. Por isso, este valor os faria reconsiderar a venda, já que poderia ser usado por tais instituições.

West, por sua vez, apresentou as camisetas na Semana de Moda de Paris em outubro, mas não pode vendê-las nos Estados Unidos por não ter os direitos da frase.

Ainda conforme o TMZ informa, a marca foi comprada por um ouvinte do programa de rádio de Ja e Ward, que lhes cedeu o direito da marca. Com isso, qualquer pessoa que queira vender produtos com a frase poderá ser processada.

West perdeu R$ 10 bi em apenas um dia após suas recentes declarações antissemitas. Além disso, Ja afirma que o rapper não entrou em contato para conversar sobre a marca.