Kanye West pagou para funcionário não vazar falas antissemitas em reuniões

Kanye West em evento de Thanksgiving, em Los Angeles, 2021
Kanye West em evento de Thanksgiving, em Los Angeles, 2021. Foto: David Livingston/Getty Images

Resumo da notícia:

  • Kanye West pagou por silêncio de funcionários sobre falas antissemitas

  • Rapper estaria reproduzindo discurso de exaltação ao nazismo há anos

  • Outros funcionários revelaram ter ouvido discurso do cantor

Kanye West fez um acordo envolvendo pagamento a um ex-funcionário para que suas falas antissemitas não vazassem ao grande público. De acordo com a NBN News, outros seis funcionários alegaram ter ouvido discurso de exaltação à Adolf Hitler e conspiração sobre o povo judeu há anos.

Anônimos, três desses ex-funcionários ou colaboradores se lembraram de várias ocasiões em que Ye usou linguagem antissemita. As outras três pessoas disseram que se lembraram de um incidente de 2018 em que o músico fez um discurso antissemita em uma entrevista nos escritórios do TMZ.

Aconteceu mais de uma vez

Segundo a emissora, os relatos sugerem que Kanye usou essa linguagem em mais casos do que é conhecido pelo público, bem antes de seus recentes comentários antissemitas on-line virem à tona.

Ryder Ripps, artista judeu que trabalhou com Kanye West entre 2014 e 2018, também afirmou à BBC News sobre ter testemunhado comentários antissemitas do rapper. Ele disse que não agiu contra os comentários na época por achar que eles “não pareciam tão perigosos”.

"Com esse padrão que está acontecendo e com a duplicação e triplicação de tudo isso, é bastante óbvio que isso é algum tipo de obsessão nazista repugnante, cheia de ódio e estranha”, afirmou Ripps.

Vale lembrar que um dos um dos episódios preconceituosos de Kanye West recentes foi quando ele acusou o rapper Diddy de ser controlado pela comunidade judaica por ter criticado sua camiseta estampada com "White Lives Matter".

O ex-marido de Kim Kardashian chegou a ser bloqueado temporariamente da rede social e chegou a se desculpar publicamente após a repercussão negativa, mas não se arrependeu das declarações.