K-Pop? Artistas tailandeses buscam fama global com "T-Pop"

Chayut Setboonsarng e Jiraporn Kuhakan
·1 minuto de leitura
Integrantes da banda tailandesa Lyra posam para foto promocional em Bangcoc

Por Chayut Setboonsarng e Jiraporn Kuhakan

BANGCOC (Reuters) - Abra caminho, K-Pop. Chegou o T-Pop.

A banda feminina tailandesa Lyra, que tem apoio da maior gravadora do mundo, a Universal Music Group (UMG), tem esperança de capitalizar sua base de fãs fiéis e alcançar o sucesso de artistas sul-coreanos que tornaram o "K-Pop" um fenômeno internacional.

"Temos grandes expectativas. Queremos apresentar... a música T-Pop ao mundo", disse Jennis Oprasert, integrante de 20 anos da Lyra.

No ano passado, a UMG firmou uma parceria com a empresa tailandesa Independent Artist Management (iAM) para lançar o grupo de seis integrantes depois de testar cerca de 80 garotas e jovens mulheres do popular grupo BNK48.

"É uma aposta", disse Paul Sirisant, que comanda a UMG na Tailândia e acredita que a originalidade garantirá o sucesso da banda.

O grupo ensaiou à distância via Zoom durante meses, e mais tarde morou junto em uma casa depois que planos de uma ida a Los Angeles foram interrompidos pela pandemia de coronavírus.

"Nós as vimos se transformarem em suas personas artísticas individuais, o que é ótimo, mas houve muitas lágrimas", disse Sirisant à Reuters.

Nem sempre foi simples operar a mudança em relação ao estilo musical do BNK48. "Não é moleza", disse Natticha 'Fond' Chantaravareelekha, de 18 anos.

"A dança, o gênero musical é diferente. Nunca fiz isso antes, mas mesmo sendo duro, adoro desde que era menina, então estou pronta."