Justin Timberlake, Halsey, Mariah Carey e mais declaram apoio a Britney

·6 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 18-11-2011: Show da cantora americana Britney Spears na arena Anhembi, em Sao Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 18-11-2011: Show da cantora americana Britney Spears na arena Anhembi, em Sao Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) -Após a cantora Britney Spears, 39, quebrar o silêncio e pediu o fim de sua tutela pela primeira vez, em uma audiência pública nesta quarta-feira (23), artistas como Mariah Carey, Justin Timberlake e Halsey demonstraram apoio à artista. 

Timberlake escreveu em seu Twitter que "depois do que vimos hoje, todos deveríamos apoiar a Britney neste momento". O artista recebeu muitas críticas dos fãs da cantora, com quem ele já manteve um relacionamento conturbado entre os anos de 1999 e 2002. 

O cantor continuou afirmando que independente do que houve entre eles no passado, o que está acontecendo com Britney agora não é certo e que "nenhuma mulher deveria ser impedida de tomar decisões em relação ao próprio corpo." 

No documentário Framing Britney Spears: A Vida de Uma Estrela, o fim do namoro dos artistas foi exposto e a forma como o ex-NSYNC tentou se aproveitar da situação para se fazer de vítima e tornar Britney a vilã também foi ressaltada. 

Por fim, ele escreveu que ao lado de sua esposa, a atriz Jessica Biel, deseja que a princesa do pop tem todo o amor e apoio deles. "Esperamos que os tribunais e sua família façam o que é certo e a deixem viver como ela quiser viver." 

"Cale a boca hipócrita", respondeu um internauta. "Na argentina nós temos uma expressão para pessoas como você: 'cara dura'", disse outro. "No Brasil, chamamos de 'cara de pau'", complementou uma brasileira. "Você explorou ela para seu próprio ganho e está fazendo isso novamente hoje. Talvez você deva apoiá-la em particular", apontou um quarto. 

Além de Timberlake, Mariah Carey também demonstrou apoio à cantora: "Amamos você, Britney! Aguente firme", escreveu ela. A cantora Halsey se manifestou em suas redes sociais, dizendo que "espero de todo o coração que ela seja liberta desse sistema abusivo." 

"Ela merece isso mais do que tudo. Admiro sua coragem por ter falado por si mesma hoje. Além disso, f. quem pensa que tem autoridade, como instituição ou indivíduo, para controlar a saúde reprodutiva de uma pessoa", completou. 

Artistas como Fiuk, Karol G, Tinashe Francine e até mesmo o ex-BBB Caio Afiune, publicaram em suas redes sociais a #FreeBritney. A cantora brasileira Lia Clark pontuou sobre a coragem que Britney teve na audiência. 

"Feliz que a Britney está falando tudo, mas estou indignada e triste por isso estar acontecendo com ela por anos e ninguém dava atenção eu só quero que ela seja feliz, real. Próprio pai no meio dessa falcatrua?", escreveu. 

A atriz Rose McGowan ressaltou o ponto de que a sociedade não respeita os corpos femininos. "Britney Spears tem todo o direito de estar com raiva. Como você se sentiria se sua vida fosse roubada, dissecada, ridicularizada? Oro para que ela viva sua vida nos termos dela. Parem de controlar as mulheres." 

ENTENDA O CASO  

Depois de anos de silêncio sobre o assunto, Britney finalmente falou, nesta quarta-feira (23), sobre sua tutela durante uma audiência remota sobre a ação que move contra o pai James P. Spears, 68, seu tutor desde 2008. 

Britney Spears fez um discurso apaixonado perante um juiz de Los Angeles, criticando duramente seu pai, enquanto seus pais e advogados ouviam. "Eu estive em negação. Eu estive em choque. Estou traumatizada", disse Spears, durante a audiência remota. "Eu só quero minha vida de volta". 

A cantora disse que quer que a tutela termine "sem ter que ser avaliada". "Eu realmente acredito que essa tutela é abusiva", disse a cantora. "Não sinto que posso viver uma vida plena." 

No início, Britney se opôs ao fechamento da audiência ao público. "Eles fizeram um bom trabalho explorando minha vida", disse ela, conforme relatado por Nancy Dillon do New York Daily News. "[Deve] ser uma audiência pública e eles devem ouvir e ouvir o que tenho a dizer." 

Ela disse ao tribunal que se sentiu "escravizada" por seu pai, Jamie Spears. "Estou com tanta raiva que não consigo dormir e estou deprimida", disse ela, de acordo com Entertainment Tonight. "Eu quero ser ouvida. Eu quero mudanças e quero mudanças no futuro. Eu mereço mudanças", disse a cantora. 

"Eu só quero minha vida de volta. Já se passaram 13 anos e é o suficiente. É o suficiente e não faz sentido algum. Acabei. Eu quero processar minha família, para ser totalmente honesta com você". 

Britney disse ainda ao tribunal que deseja ter mais filhos, mas foi impedida de fazê-lo. "Eu tenho um DIU em meu corpo agora que não me deixa ter um bebê e não me deixam ir ao médico para retirá-lo", disse ela, por ET. "Eu quero poder me casar e ter um filho. Disseram-me com a tutela que eu não era capaz de me casar e ter um filho". 

As finanças e assuntos pessoais da estrela de 39 anos têm sido gerenciados pelo pai Jamie Spears desde que ela teve um colapso nervoso em público há mais de uma década, o que fez com que nos últimos anos milhares de fãs lançassem a campanha online #FreeBritney. 

No entanto, a cantora expressou muito mais oposição à tutela legal sobre sua vida e suas finanças do que era sabido até agora. Segundo documentos confidenciais obtidos pelo New York Times, a cantora reclamou inúmeras vezes das restrições impostas pelo pai, e questionou a aptidão dele para administrar a carreira dela. 

Ela também contou que o pai estava "obcecado" por ela e que não podia sequer fazer amigos sem a aprovação dele. Segundo ele, Britney disse que era "muito, muito" controlada pelos responsáveis e que gostaria de encerrar a tutela o mais rápido possível. Ela afirmou a um investigador em um relatório de 2016 que sentia que a tutela havia se tornado uma ferramenta opressora e de controle sobre ela. 

"Ela está 'cansada de ser explorada' e disse que é ela quem trabalha e ganha dinheiro, mas todos ao seu redor estão em sua folha de pagamento", diz o documento. Na época, ela disse receber uma mesada semanal de US$ 2.000 (cerca de R$ 10 mil), embora tivesse contratos milionários. 

Ela afirmou também que, sob a tutela, ela vivia "com muito medo". Caso cometesse qualquer erro, as consequências eram "muito severas". Além disso, em 2019, ela disse ter sido forçada a se internar em uma instituição psiquiátrica. E também contou que tinha que se apresentar contra a própria vontade. 

Mesmo assim, o relatório recomendou a continuidade da tutela. O documento, no entanto, falava em abrir caminho para a independência no futuro. 

Britney também questionou a aptidão do pai para cuidar da carreira dela e da fortuna de US$ 60 milhões (quase R$ 300 milhões). Em 2014, o advogado dela apresentou uma lista de queixas a respeito dele, entre as quais a alegação de que ele tinha problemas com o álcool.Os representantes do pai de Britney não quiseram comentar o assunto ao jornal. 

Considerada incapaz de cuidar de si própria, a cantora está sob tutela desde 2008, quando foi hospitalizada para um tratamento psiquiátrico. Isso ocorreu após um colapso amplamente repercutido pela imprensa. 

Desde então, o pai e a equipe dela diziam que tudo estava funcionando bem e que a cantora era livre para pedir o fim da tutela, se assim o quisesse. Britney, por sua vez, manteve o silêncio e não fez manifestações públicas sobre o assunto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos