Justiça proíbe venda de tênis do Lil Nas X com sangue humano

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
A MSCHF afirma ainda que, assim como uma edição limitada anterior com a temática Jesus, eles serão exibidos em coleções artísticas e até em museus
A MSCHF afirma ainda que, assim como uma edição limitada anterior com a temática Jesus, eles serão exibidos em coleções artísticas e até em museus
  • Sapato leva o sangue dos próprios funcionários da empresa

  • Modelo é uma versão modificada do Air Max 97

  • Proibição veio após o calçado esgotar nas lojas

Depois de causar polêmica, um juiz federal dos Estados Unidos interrompeu temporariamente as vendas do tênis criado pela marca MSCHF em parceria com o rapper Lil Nas X. A marca está sendo processada pela Nike, que não autorizou a produção do calçado.

O modelo utilizado pela marca é o clássico Air Max 97, fabricado pela Nike. Nele foram adicionados símbolos que aludem ao Diabo, como uma estrela de cinco pontas invertida e também foram injetadas gotas de sangue humano na sola, de acordo com a MSCHF, doadas por seus próprios funcionários.

Leia também:

Em uma carta ao juiz, os advogados da MSCHF argumentam que os 666 pares de sapatos que estavam à venda "não são tênis típicos, mas obras de arte numeradas individualmente, que foram vendidas a colecionadores por US$ 1.018 (R$ 5,8 mil) cada".

A MSCHF afirma ainda que, assim como uma edição limitada anterior com a temática Jesus, eles serão exibidos em coleções artísticas e até em museus.

Segundo o Hollywood Reporter, a Nike responde que, mesmo sendo um objeto artístico, tem evidências de que muitos consumidores já afirmaram que não comprarão novamente produtos da marca por acharem que ela está associada ao satanismo.

A decisão da Justiça deve ter pouco efeito, já que 665 dos 666 pares já foram enviados a seus compradores —os tênis esgotaram pouco depois de serem anunciados pelo cantor. "Não há embasamento para um recall. Eles não estão fazendo isso pelo dinheiro, mas pela mensagem", dizem os advogados da MSCHF.

Entenda a briga

Os sapatos foram feitos em colaboração com o rapper americano Lil Nas X, famoso por sua música "Old Town Road", um dos maiores sucessos de 2019. Os tênis vieram na esteira do lançamento do clipe da canção "Montero", onde o cantor dança com o Diabo.

Além de gerar protestos de religiosos, a Nike também não gostou de ver sua marca associada ao produto. "Os 'Sapatos de Satanás' foram produzidos sem um acordo ou autorização da Nike", disse um porta-voz da empresa à AFP.

Pouco tempo depois, a empresa exigiu na Justiça a suspensão da entrega dos calçados por afirmar que o modelo é uma fonte de confusão e expôs a empresa a um possível boicote.