Justiça libera SBT de indenizar Maisa Silva, Milene e Sherazadade por constrangimentos

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 30/09/2018 - A atriz e apresentadora Maisa Silva, 16. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Maisa Silva, Milene Uehara e Raquel Sherazadade foram constrangidas pelo SBT e deveriam receber uma indenização no valor de R$ 10 milhões, segundo ação movida pelo Ministério Público do Trabalho. O pedido, no entanto, foi negado. 

A ação cita o dia em que Silvio Santos provocou Maisa Silva, dizendo que só a convidou a participar do quadro Jogo dos Pontinhos para que ela conhecesse o apresentador Dudu Camargo. Silva reagiu e respondeu ao apresentador. "Isso é um ultraje, isso é constrangedor, você me submeter a uma situação dessas". A saia justa foi exibida em novembro do ano passado.

Já Milene Uehara, conhecida como Milene Pavorô chegou a sofrer uma agressão física durante o Programa do Ratinho, segundo o MPT. Em abril de 2016, ela foi colocada em uma caixa de papelão, e o apresentador, sem saber disso, deu chutes na caixa.

Já o caso envolvendo a jornalista Rachel Sheherazade ocorreu no Troféu Imprensa de abril de 2017, em que ela teria sido maltratada pelo apresentador Silvio Santos.

A emissora se defendeu dizendo que a participação de Maisa Silva no Jogo dos Pontinhos foi completamente combinada e cenas como essa fazem parte da ideia de "promover o entretenimento". A mesma coisa ocorreu durante o Programa do Ratinho.

Em relação a Sheherazade, a juíza Juliana Baldini de Macedo entendeu que "a despeito de demonstrar um tratamento não muito cordial por parte de Sílvio Santos, de forma isolada não configura tratamento desumano, depreciativo, constrangedor e discriminatório".