Justiça dá prazo para Prefeitura de SP explicar cachê a Ludmilla

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 29.05.2022 - Show da cantora Ludmilla durante Virada Cultural em SP. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 29.05.2022 - Show da cantora Ludmilla durante Virada Cultural em SP. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Justiça de São Paulo deu prazo de 72 horas para que a Prefeitura de São Paulo se manifeste em ação que pede a suspensão do cachê pago à cantora Ludmilla por sua participação na Virada Cultural.

A ação foi proposta pelo vereador Fernando Holiday (Novo), com o argumento de que ela, no show, fez com a mão a letra "L", em alusão à pré-candidatura presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Holiday pede que o pagamento de R$ 200 mil seja suspenso ou restituído aos cofres públicos, caso já tenha sido feito.

Nas redes sociais, a cantora negou que seja uma referência a Lula, mas sim à primeira letra de seu nome.

A decisão foi tomada pelo Kenichi Koyama, da 15ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos