Juliana Paes se posiciona: “Não sou bolsominion, não apoio ideias da esquerda”

·2 minuto de leitura
Juliana Paes desabafa em IGTV

Resumo da notícia

  • Juliana Paz volta a falar nas redes sociais após sofrer ataques

  • Atriz fez um vídeo direcionado a uma colega

  • Ela acusa essa colega de calúnia

Depois de muitos ataques nas redes sociais, Juliana Paes decidiu falar abertamente sobre o que acha do cenário político e social que o Brasil se encontra em um vídeo em sua conta no Instagram.

O vídeo possui cinco minutos, em que ela conduz um recado para uma “colega”, no qual não divulgou o nome: “Cara colega, apesar de eu ter sido agredida por suas palavras caluniosas, de ter sido invadida pela sua mensagem, de ter sido acusada de ser covarde, desonesta, criminosa, eu vou te responder por todas as cenas que eu me emocionei do seu lado”, começou.

Leia também

A atriz pontuou sobre o que essa tal colega diz a respeito da sua posição política “Eu discordo de você sobre a minha posição, já falei publicamente sobre querer vacinas, mas eu não vou fazer isso todos os dias. Fui a primeira a pedir que as pessoas ficassem em casa, quando você ainda nem tava tão preocupada, mas não me sinto no direito de pedir para as pessoas ficaram sem trabalhar. Você critica a minha escolha de não militar, publicamente, escolhendo um dos lados políticos nesse debate todo, então deixa eu te falar sobre o que eu penso”, prosseguiu.

Logo depois, Juliana abordou sobre a gravidade do vírus “O mundo inteiro tá angustiado, tá desorientado. Aqui, no Brasil, o cenário se complica, porque todo e qualquer assunto é politizado (...). Eu não sou Bolsominion como o pessoal adora falar, quem não me conhece, tenho críticas severas a esse que nos governa, por outro lado não quero que governe o Brasil essa oposição que se insinua para o futuro. Então estou num ambiente onde não me sinto representada por ninguém”, justifica.

Entenda o caso

Na tarde desta quarta-feira (02), a atriz se posicionou a respeito da repercussão da médica bolsonarista Nise Yahaguchi. Em que, o discurso feito era o mesmo que o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido), que o senador Omar Aziz e demais senadores da CPI "humilharam" Nise após a médica se contradizer em suas falas e defender o tratamento precoce com drogas como a cloroquina, comprovadamente ineficaz contra a Covid-19.

"Show de horror e boçalidades na CPI da Covid. Certa ou errada, não importa. Intimidação, coação... fala interrompida... mulher merece respeito em qualquer ambiente", escreveu Juliana, que foi duramente criticada nas redes sociais após endossar a fala do presidente. A atriz não entrou no mérito político da questão, criticando apenas o tratamento dado à Nise durante seu depoimento na CPI.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos