Juliana Paes diz que evita 'coitadismos': 'As pessoas reclamam muito que a vida é difícil'

Juliana Paes (Foto: Reprodução / Instagram @julianapaes)
Juliana Paes (Foto: Reprodução / Instagram @julianapaes)

Juliana Paes estampou a capa da revista do shopping Cidade Jardim, em São Paulo, e, aos 40 anos, abriu um pouco sobre sua intimidade ao jornalista Bruno Astuto. Entre os temas comentados, a atriz falou sobre as bandeiras que a sociedade vem levantando e disse evitar se colocar no lugar de ‘coitada’ por alguma situação.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

“Vejo as pessoas reclamando muito que a vida é difícil. Ela não é simples para a maioria. Ninguém da minha família se formou. Ninguém. Minha família é muito pobre. Eu não falo muito sobre isso em entrevista, porque sempre parece o lugar do coitadismo, que eu detesto. Ninguém da minha família se formou. Queria ter um diploma, porque era muito importante para o meu pai. Trabalhei muito em muitos carnavais, como recepcionista, para pagar os estudos”, falou ela para a publicação.

Leia Mais: Aguinaldo Silva aponta o problema do ‘casamento gay ou hétero’: ‘Dormir de conchinha’

De acordo com Juliana, ainda para a revista, se expor não está na sua lista de desejos: “Supor que você precisa colocar para o mundo inteiro as suas opiniões sobre tudo é uma armadilha do ego e da vaidade. Por que tenho que entender de tudo, falar sobre tudo, emitir meu parecer sobre tudo? Eu quero me dar o luxo de ter opiniões guardadas só para mim, para o meu marido, para minha família.”

Ela também aponta na entrevista que existe uma busca pelo ‘politicamente correto’ e pela necessidade de levantar bandeiras: “As pessoas estão esquecendo que, talvez, o grande poder político é você conseguir apreciar e amar os outros independentemente das suas posturas políticas, das suas causas. Acho que é esse o grande desafio social, porque todo mundo quer levantar uma bandeira para se sentir importante, para que os outros comentem, apoiem.”

Assista a seguir: