Julgamento de Chris Brown é adiado

O julgamento de Chris Brown foi adiado credit:Bang Showbiz
O julgamento de Chris Brown foi adiado credit:Bang Showbiz

O julgamento de Chris Brown foi adiado para setembro de 2023.

O cantor, de 33 anos, está sendo processado por sua ex-empregada, que está usando o pseudônimo anônimo Jane Doe e pedindo US$ 71 milhões em danos por um suposto ataque "cruel e brutal" de seu cachorro, enquanto ela trabalhava em sua casa na Califórnia, em dezembro de 2020.

Chris argumentou que a mulher ainda não passou por exames médicos apropriados ou não cumpriu nenhum dos outros réus no caso, e insistiu que não poderia preparar adequadamente sua defesa como resultado.

De acordo com documentos obtidos pelo ‘RadarOnline.com’, o tribunal concordou que o julgamento poderia ser transferido de 3 de janeiro de 2023 para 26 de setembro do próximo ano.

A mulher alegou que o cão Caucasian Orvchake/Caucasian Shepherd do astro do sucesso 'Run It’, chamado Hades, surgiu do nada enquanto ela estava tirando o lixo e "selvagemente" mordeu seu rosto, braços e corpo, fazendo com que pedaços de sua pele fossem arrancados.

A governanta afirmou que foi deixada deitada em uma poça de seu próprio sangue enquanto ouvia Chris dizer aos seus seguranças para remover o cachorro da propriedade.

Ela alegou que temia que sua vida tivesse acabado no dia em questão e está pedindo indenização por sofrimento emocional e para cobrir o custo de suas contas médicas.

No entanto, Chris tentou arquivar o processo e sua equipe jurídica argumentou que os ferimentos da governanta foram causados ​​por seu próprio comportamento, alegando que ela havia "provocado, abusado e maltratado voluntariamente o cão e, assim, provocou o ataque".

Seu advogado escreveu nos documentos do tribunal: “[Doe] convidou os ferimentos agora reclamados e assumiu o risco deles com pleno conhecimento da magnitude desse risco, pois sabia que sua conduta anterior poderia fazer com que o cão a atacasse e seriamente a ferisse, sendo que ambos os eventos teriam ocorrido.”