Juízes para a Democracia defendem responsabilização de Roberto Alvim

FREDERICO VASCONCELOS
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 16.01.2020: Retrato de Roberto Alvim, dramaturgo e hoje secretário da cultura de Bolsonaro. (Foto: Andre Coelho/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRES) - A Associação Juízes para a Democracia (AJD) emitiu nota de repúdio ao pronunciamento de Roberto Alvim, ex-secretário especial da Cultura, que parafraseou um discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista.

A entidade sustenta que o governo Bolsonaro “flerta com o totalitarismo” e defende a responsabilização civil, administrativa e criminal do secretário demitido.

Eis a íntegra da manifestação:


NOTA PÚBLICA

O pronunciamento oficial de um Secretário de Estado, reproduzindo, em forma e conteúdo, a política de propaganda de um regime totalitário, mundialmente repudiado pelos prejuízos causados à humanidade, é inaceitável.

A ação da Presidência da República, demitindo o referido secretário, constitui, no máximo, um sinal contraditório de um governo, cujas ações flertam continuamente com políticas totalitárias como o extermínio de populações periféricas e indígenas; intolerância com a população LGBT; censura do pensamento de oposição e destruição do ambiente.

A AJD repudia o pronunciamento feito pelo Secretário de Cultura e bem assim a política que vem sendo feita pelo atual governo. Além disso, exige que as instituições responsáveis pela garantia da democracia promovam a responsabilização civil, administrativa e criminal de Roberto Alvim.


ASSOCIAÇÃO JUÍZES PARA A DEMOCRACIA