Juíza rejeita pedido de Amber Heard por novo julgamento com Johny Depp

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Amber Heard na saída do Tribunal do Circuito do Condado de Fairfax, Virgínia, EUA
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Lisa Richwine

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz Amber Heard não conseguiu um novo julgamento no caso de difamação do seu ex-marido Johnny Depp, uma vez que uma juíza recusou nesta quarta-feira os argumentos dos advogados dela de que um dos jurados havia agido indevidamente.

Heard foi ordenada em junho a pagar 10,35 milhões de dólares a Depp em indenização após um júri do Condado de Fairfax, na Virgínia, decidir que ela havia difamado a estrela de “Piratas do Caribe” em um artigo de opinião publicado em um jornal.

Os advogados da atriz de "Aquaman" pediram à juíza que a decisão fosse descartada, e o julgamento, anulado, argumentando que um dos jurados do caso não deveria ter sido elegível porque a convocação foi enviada para o seu pai, que tem o mesmo nome e mora no mesmo endereço.

A juíza Kenny Azcarate decidiu que não havia “evidência de fraude ou mal feito” cometido pelo jurado e que o veredicto do júri deve prevalecer. Ela também mencionou que os dois lados questionaram e aceitaram todos os jurados no começo do julgamento.

“O devido processo legal foi garantido e oferecido a todas as partes deste litígio”, escreveu Azcarate.

Depp, de 59 anos, processou Heard e argumentou que ela o havia difamado ao se caracterizar como “uma pessoa pública representando o abuso doméstico” em um artigo de opinião publicado no jornal Washington Post. Depp negou ter batido em Heard, de 36 anos, e disse que foi ela quem se tornou violenta no relacionamento deles.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos