JP Rufino expõe comentários racistas que recebe na web

***FOTO DE ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 26-08-2014 - Gravação do ultimo episodio do seriado A Grande Família, que sai do ar apos 14 anos de sucesso.  Alem do elenco principal, participações especiais dos atores Gloria Pires, Marcelo Adnet, Daniel Filho, Tony Ramos, Lazaro Ramos, Deborah Secco, JP Rufino, Luana Piovani e Alexandre Borges. (Foto: Paula Giolito/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 26-08-2014 - Gravação do ultimo episodio do seriado A Grande Família, que sai do ar apos 14 anos de sucesso. Alem do elenco principal, participações especiais dos atores Gloria Pires, Marcelo Adnet, Daniel Filho, Tony Ramos, Lazaro Ramos, Deborah Secco, JP Rufino, Luana Piovani e Alexandre Borges. (Foto: Paula Giolito/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - JP Rufino foi mais uma vez alvo de comentários racistas nas redes sociais. O ator mirim de 17 anos expôs algumas mensagens que recebeu em seu Instagram, de internautas que se referem a ele como "moleque babaca bancando a vítima".

"Vai estudar e tozar esse cabelo horrível! Para de falar de racismo seu trouxa", diz um dos comentários. "Fodam-se: índios, pretos e pobres! Racistas principalmente (como tu) e Marielle também", afirma outro.

Os comentários vêm acompanhados da foto do internauta e parte de seu nome -o restante foi apagado pelo ator. No entanto, é possível identificá-lo em comentários de outras publicações de JP. O usuário em questão não tem publicações ou seguidores, e por isso é apontado por outros internautas como "fake".

Na publicação, JP afirma que expõe os comentários "para lutar por uma mudança de seres sem noção" e conter "tanto ódio e agressão".

"O respeito (que é bom, eu gosto e inclusive pratico) pra fazer entender que seres como você...tem muito o que aprender", afirma. "O "Moleque" em questão estuda, trabalha (tem carteira assinada) [...] Segue 2020...que pelo jeito que começou, me mostrando o quanto precisará de luta".

Artistas como Daniel Ortiz, Mariana Rebelo, Cacau Protásio e Paula Lima saíram em defesa do ator nos comentários, lamentando o ocorrido.

Em fevereiro de 2018, JP precisou prestar queixar em uma delegacia de crimes de internet no Rio. Ele sofreu um ataque racista em uma rede social enquanto transmitia o desfile da escola de samba Mangueira. Na ocasião, um seguidor publicou o seguinte comentário: "Eca, macaco sambando". Quem viu a mensagem primeiro foi o irmão dele, Serginho, que acompanhava a "live" de casa.

"Tomamos providências, sim, estivemos na delegacia de crimes de internet e fizemos o registro da queixa", disse Martha a reportagem.