Jovem é agredida com pedaço de madeira após criticar Bolsonaro em bar no RJ

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Uma jovem de 19 anos foi agredida na cabeça com um pedaço de madeira por um homem que ouviu críticas sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) em um bar, na tarde de sexta (23), em Angra dos Reis (RJ).

O caso foi registrado na 166ª DP (Angra dos Reis), onde ele foi autuado em flagrante por lesão corporal. O UOL teve acesso ao boletim de ocorrência. O suspeito, identificado como Robson Dekkers Alvino, de 52 anos, foi encontrado em uma rua próxima ao bar contido por moradores da região. Após prestar depoimento, foi liberado.

Estefane de Oliveira Laudano conversava com a irmã mais velha e amigos em uma mesa do estabelecimento quando uma discussão com outro cliente no local começou após ele ouvir o grupo falar mal de Bolsonaro.

A irmã de Estefane, Esther de Oliveira Laudano, de 24 anos, explicou ao jornal O Globo que a confusão começou quando ela comentou com os amigos sobre o status de um colega nas redes sociais.

"Comentei com a minha irmã, brincando: 'Ué, gente, ele vota no Bolsonaro? Não tenho amigo bolsonarista não'", disse, ao Globo. "Nesse momento, esse homem, que eu nunca vi na vida, já se intrometeu dizendo que era Bolsonaro", completou.

Segundo Esther, o homem continuou xingando e ofendendo o grupo, e acabou expulso do bar pela dona do estabelecimento. A jovem relata que ele parecia alterado e embriagado.

"Ele me chamou de 'maria-homem' e disse que era 'gente que nem a gente que vota no Lula'. Depois, foi embora, mas não demorou para voltar com o pedaço de madeira. Começou a berrar que, 'se eu era homem, então iria apanhar que nem homem'. Eu parei na frente dele e falei: 'Então bate'", contou a jovem ao jornal O Globo.

Para defender a irmã, Estefane entrou na frente dela e acabou atingida na cabeça pela quina do pedaço de madeira. Imagens do atendimento médico mostram um grande corte na cabeça dela após a agressão, que precisou de pontos.

"Minha primeira reação foi partir pra cima dele, dando uns socos, mas quando olhei para trás vi minha irmã no chão, toda cheia de sangue, pedindo ajuda", relatou Esther ao jornal.

Estefane foi levada por um amigo para a Santa Casa de Angra do Rei. Em seguida, a jovem foi transferida para o Hospital Municipal da Japuíba, em Angra, onde levou sete pontos e segue internada, com quadro estável.

Nas redes sociais, o suspeito se define como eleitor de Jair Bolsonaro. Em uma de suas publicações, Robson aparece vestido com a camisa do presidente e a legenda "que comecem votos. #BolsonaroReeleitoEm2022".

A reportagem não conseguiu contato com a defesa do suspeito.