José Leôncio contará mentira sobre morte trágica em "Pantanal"

José Leôncio em
José Leôncio em "Pantanal" (Divulgação Globo)

Na reta final de "Pantanal", José Leôncio (Marcos Palmeira) e José Lucas (Irandhir Santos) serão os porta vozes da morte de Tenório (Murilo Benício). O vilão finalmente morrerá nas mãos de Alcides (Juliano Cazarré) e Zaquieu (Silvero Pereira), e será o fazendeiro e seu filho que precisarão dar a notícia para Zuleica (Aline Borges) e Guta (Julia Dalavia).

José Lucas será o primeiro a dizer que Tenório morreu, deixando Zuleica sem reação. "Não pode ser, não sei de onde você tirou essa loucura, mas não faz sentido algum", grita a enfermeira. "Ele trocou tiro com um peão meu lá da fazenda... O peão voltou ferido, tive que mandar ele pra um hospital lá em Campo Grande... O seu pai não teve a mesma sorte", responderá José Leôncio, escondendo a verdade história.

Guta e Zuleica questionarão se o peão responsável pelo tiro foi Alcides, mas o fazendeiro mente, evitando continuar o ciclo de vingança que envolve os personagens. "Se fosse o Alcides, não teria voltado ferido", mente José Leôncio.

O que aconteceu com Alcides?

Tenório (Murilo Benício) se vigou de Alcides (Juliano Cazarré) e Maria Bruaca (Isabel Teixeira) no capítulo de segunda-feira, 26 de setembro, em "Pantanal". O vilão flagrou a ex-mulher com o peão e não deixou barato. Com uma arma apontada para os dois, o fazendeiro amarrou Alcides e ameaçou violentar Bruaca sexualmente. Em seguida, ele colocou a mulher para fora da casa e estuprou o ex-empregado.

Embora o ato não tenha sido mostrado, já que as câmeras focavam no desespero da mulher do lado de fora, a sequência foi aterrorizante e rendeu elogios aos atores envolvidos. No calor da emoção, muitas pessoas ficaram confusas: o que aconteceu naquele quarto? Na versão de 1990, Alcides teve seu órgão genital cortado. Em 2022, porém, o autor Bruno Luperi fez uma modificação na história. Sim, Alcides realmente foi estuprado.

A alteração foi feita por causa das críticas que a novela recebeu em 1990. A atriz Angela Leal, que interpretou Maria Bruaca na versão original, explicou que o público se revoltou com a sequência na qual Tenório cortava o pênis de Alcides.

"A guerra foi tanta, o telefone da Manchete não parava. Cartas, gente na porta da emissora, foi o maior ibope da novela inteira. Foram oito horas de gravação, foi duríssimo. Eu me lembro do sangue, lembro da cena, foi apavorante", afirmou.

Ao Gshow, o diretor Davi Lacerda contou que a gravação da cena no remake durou cinco horas e também foi muito tensa. Ele confirmou que o texto de Luperi indica um estupro e afirmou que foi uma decisão da equipe colocar tudo sob a perspectiva de Maria Bruaca para evitar imagens mais pesadas.