Jornalistas, ativistas e membros da Fórmula 1 criticam Nelson Piquet por uso de termo racista contra Hamilton

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Nelson Piquet chamou Hamilton de 'neguinho' em entrevista (Fotos: Reprodução/YouTube; Arquivo Pessoal)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Ex-piloto da Fórmula 1, Nelson Piquet vem recebendo muitas criticas, nesta terça-feira, por chamar Lewis Hamilton de "neguinho" em entrevista. O assunto tomou proporções internacionais depois que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e o próprio piloto britânico repercutirem o caso.

- É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Eu fui cercado por essas atitudes e fui um alvo por minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação - disse Hamilton.

- Linguagem discriminatória ou racista é inaceitável de qualquer forma e não faz parte da sociedade. Lewis é um embaixador incrível do nosso esporte e merece respeito - disse a FIA.

- Condenamos nos termos mais fortes qualquer uso de linguagem racista ou discriminatória de qualquer tipo. Lewis liderou os esforços do nosso esporte para combater o racismo e ele é um verdadeiro campeão da diversidade dentro e fora das pistas - disse a Mercedes.

+ 20 anos do penta: lembre em 20 fotos como era o mundo em 2002

Através do Twitter, nomes relevantes do jornalismo brasileiro e internacional, além de ativistas do movimento negro e membros da Fórmula 1 também criticaram.

- Devemos torcer por atletas brasileiros apenas por terem nascido no mesmo país da gente? Jamais torceria para Piquet em duelo contra Hamilton. (...) Viva Hamilton, uma lenda, um dos maiores nomes da história do esporte mundial. Ao Piquet... desejo que meu conterrâneo aprenda alguma coisa desse lamentável episódio - disse André Rizek, apresentador do SporTV. Veja opinião completa do jornalista aqui.

- Nelson Piquet tem três títulos mundiais de F1. Eu sempre me perguntei por que ele nunca comandou o mesmo nível de respeito que outros pilotos de três títulos - Brabham, Stewart, Lauda e Senna, ou mesmo pilotos com dois títulos: Ascari, Hill, Clark, Fittipaldi, Hakkinen ou Alonso. Agora eu sei por quê - disse o jornalista inglês Ben Hunt.

Comentarista da Fórmula E na TV Cultura e colunista de Fórmula 1 no 'Uol', Fábio Seixas também falou sobre o tema.

- A F1 descobriu quem é Nelson Piquet - disse o jornalista, se referindo a repercussão internacional do assunto.

- Sabemos o que Piquet diz sobre o que pensam dele. Mas agora que se tornou um pária da F1, talvez reflita um pouco - completou.

Winnie Bueno, pesquisadora e ativista antirracista brasileira, detonou o ex-piloto em post no Twitter.

- Pessoas brancas: vocês precisam nomear os pares de vocês devidamente. Nelson Piquet é um racista escroto. É assim que a gente se refere a pessoas que dizem coisas como a que ele disse. Deem o nome certo - disse.

Chefe de comunicações da equipe de Fórmula 1 Aston Martin, Matt Bishop disse em um tuite que tem 'nojo' de Nelson Piquet. O jornalista carreca em seu perfil as cores da bandeira do arco-íris e defende a causa LGBTQIAP+.

- Trabalhei muito de perto com Lewis Hamilton por cinco anos quando ele e eu estávamos na McLaren. Ele é um piloto absolutamente brilhante e um grande homem. Ele faz uma quantidade enorme de diversidade e inclusão. Por outro lado, Nelson Piquet me enoja - afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos